TÊNIS

Djokovic vence confronto contra Zverev e avança à semifinal do ATP Finals

Djokovic medirá forças contra o austríaco Dominic Thiem, terceiro do mundo, em uma reedição da final do Aberto da Austrália deste ano


Estadao Conteúdo
Estadao Conteúdo
Do Estadao Conteúdo | Em: 20/11/2020 às 15:48:59

Tenista sérvio Novak Djokovic, número 1 do mundo (Foto: Divulgação)
Tenista sérvio Novak Djokovic, número 1 do mundo (Foto: Divulgação)

Número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic conseguiu nesta sexta-feira a quarta e última vaga das semifinais do ATP Finals, torneio em Londres que reúne os melhores tenistas da temporada. Em um confronto direto pela segunda colocação do Grupo Tóquio 1970, ele levou a melhor contra o alemão Alexander Zverev, atual sétimo colocado do ranking e campeão do torneio em 2018, ao vencer por 2 sets a 0 – com parciais de 6/3 e 7/6 (7/4), após 1 hora e 36 minutos.

Com esse resultado, as semifinais ficaram definidas. Djokovic medirá forças contra o austríaco Dominic Thiem, terceiro do mundo, em uma reedição da final do Aberto da Austrália deste ano, enquanto que do outro lado o russo Daniil Medvedev, número 4 do ranking, que ainda nesta sexta-feira encerra a sua participação na fase de grupos contra o argentino Diego Schwartzman, enfrentará o espanhol Rafael Nadal, vice-líder.

Essa será a segunda vez em 30 anos que o Top 4 do ranking se enfrenta nas semifinais do ATP Finals. A última aconteceu em 2004 com o suíço Roger Federer (1.º), o norte-americano Andy Roddick (2.º), o australiano Lleyton Hewitt (3.º) e o russo Marat Safin (4.º). Antes disso, os quatro melhores do mundo também se reuniram nas semifinais do Finals de 1990, quando passaram da fase de grupos o sueco Stefan Edberg (1.º), o alemão Boris Becker (2.º), o checo naturalizado americano Ivan Lendl (3 º) e o americano Andre Agassi (4.º).

Eliminado ainda na fase de grupos no ano passado, Djokovic vai disputar a sua nona semifinal na competição e segue em busca do recorde de conquistas. Ele já venceu o torneio cinco vezes e mantém o sonho de igualar a marca de Federer, que já levantou a taça em seis oportunidades diferentes. E sabe das dificuldades que encontrará contra Thiem.

“Obviamente que ele (Thiem) começou sua carreira jogando melhor no saibro, mas sendo um grande jogador, que treina muito e pé dedicado, Dominic encontrou seu ‘A’ em outros pisos. Seu primeiro Grand Slam veio em quadras duras esse ano em Nova York (no US Open). Joguei contra ele aqui no ano passado e perdi por 7/6 no terceiro set. Foi uma partida emocionante. Espero que façamos novamente um grande jogo, mas que desta vez tenha um final diferente”, disse Djokovic na entrevista pós jogo, ainda em quadra.