Operação Compadrio

Diretor da Agetop é preso em operação do Ministério Público

A investigação foi iniciada em 2013 e apura a prática de crimes contra a Administração Pública





//

O Ministério Público de Goiás (MP-GO), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Centro de Segurança Institucional e Inteligência (CSI), deflagrou na manhã desta terça-feira (11/8), a Operação Compadrio, realizada em parceria com a Polícia Militar de Goiás e com apoio do Grupo Especial de Combate à Corrupção (Gecoc) para cumprimento de mandados de prisão preventiva e temporária, condução coercitiva e busca e apreensão.

Em cumprimento aos mandados expedidos pela Juíza Placidina Pires, da 10ª Vara Criminal da Comarca de Goiânia, a Operação Compadrio mobilizou 36 promotores de Justiça e cerca de 150 policiais militares que cumpriram dois mandados de prisão preventiva; sete mandados de prisão temporária; 21 mandados de condução coercitiva e 37 mandados de busca e apreensão, distribuídos pelos municípios de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Morrinhos, Araçu, Uruana e São Miguel do Araguaia.

Entre os presos está o  diretor de Obras Rodoviárias da Agetop, José Marcos de Freitas Musse.

A investigação foi iniciada em 2013 e apura a prática de crimes contra a Administração Pública, realizada por uma organização criminosa instalada em órgãos públicos do Estado de Goiás. Este grupo supostamente valeu-se de funcionários fantasmas e de empresas laranjas para instrumentalizar desvios de dinheiro público.

Investiga-se, ainda, práticas criminosas consistentes no favorecimento em licitações públicas, lavagem de dinheiro e retirada fraudulenta de restrições bancárias, cartorárias e no cadastro de proteção ao crédito, todos eles contando com a colaboração e participação de funcionários públicos.