H1N1

Deputada Adriana Accorsi solicita vacinação contra a gripe em caráter de urgência em Goiás

Parlamentar sugere a criação de uma parceria entre Estado e municípios que já registraram casos da doença


Amanda Sales
Do Mais Goiás | Em: 05/04/2018 às 17:32:17

PL segue para a CCJ (Foto: Reprodução/ Facebook)
PL segue para a CCJ (Foto: Reprodução/ Facebook)

A deputada estadual Adriana Accorsi (PT) requereu na tarde desta terça-feira (3), na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), que a vacinação contra a gripe H1N1 seja feita na população de Goiás em caráter de urgência. A vacina para os grupos de risco ainda não está disponível na rede pública e, conforme a Secretaria Estadual de Saúde (SES), a campanha de vacinação prevista para 16 de abril foi adiada para o dia 23, devido a atrasos no Ministério.

Na última terça-feira (3), a gerente de Vigilância Epidemiológica da SES, Magna Maria de Carvalho confirmou 44 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causada pelo vírus H1N1, em todo o Estado. Ela informou que houve atraso de repasse das vacinas pelo Ministério da Saúde (MS), mas que não há motivo para pânico, uma vez que Goiás ainda não vive uma situação de epidemia.

No entanto, segundo Adriana, a vacinação dos goianos em caráter de urgência é necessária levando em conta o desespero da população e as mortes já confirmadas da doença. A deputada destaca o falecimento do médico pediatra Luiz Sérgio de Aquino Moura, de 57 anos, confirmada nesta quinta-feira (5) como sendo consequência da contaminação pelo vírus H1N1.

A deputada ressalta ainda a necessidade de sensibilização dos gestores públicos, uma vez que há possibilidade de epidemia da doença no Estado. “Proponho a criação de uma parceria entre Estado de Goiás, a Prefeitura de Goiânia e os demais municípios que já tiveram casos confirmados da doença”, afirmou Adriana em suas redes sociais.

O requerimento ainda deve ser votado pelos deputados e somente após aprovação unânime é enviado para o Governo do Estado e avaliado pelos órgãos competentes. A SES informou que, durante o surto da doença na Vila São Cottolengo em Trindade, solicitou ao MS uma antecipação das vacinas para Goiás, mas não foi contemplada.

Em vídeo gravado por Magna, ao Mais Goiás, ela reforça que não há uma epidemia  e pede para a população não compartilhar notícias falsas sobre a doença no Estado. Além disso, a pasta orienta que as pessoas evitem grandes aglomerações, inclusive as filas nas clínicas particulares que vendem a vacina.

Tópicos