PRECARIEDADE | SÃO LUÍS

Depois da aula, estudantes precisam andar a pé e na lama em desvio na GO-060; veja vídeo

Cerca de 50 pessoas caminharam por quase 1 km no barro para que ônibus não atolasse. Parte da rodovia está interditada desde o último dia 26 de janeiro após o rompimento de um bueiro


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 18/02/2020 às 13:13:48

Estudantes denunciam que tiveram de andar a pé na lama em um desvio na GO-060, no trecho entre Israelândia e São Luís de Montes Belos. (Foto: reprodução)
Estudantes denunciam que tiveram de andar a pé na lama em um desvio na GO-060, no trecho entre Israelândia e São Luís de Montes Belos. (Foto: reprodução)

A volta para casa foi complicada e turbulenta para estudantes universitários do interior de Goiás na noite desta segunda-feira (17). Os alunos denunciam que tiveram de andar a pé e na lama em um desvio na GO-060, no trecho entre Israelândia e São Luís de Montes Belos. Vídeos e fotos registraram o momento da travessia de cerca de 50 pessoas descalças e com os pés sujos de barro. Parte da via está interditada desde o último dia 26 de janeiro após o rompimento de um bueiro na altura do quilômetro 164.

Um estudante de Direito, que preferiu não ser identificado, conta que, todos os dias, um ônibus leva alunos das cidades de Israelândia, Iporá, Jaupaci e Piloândia para uma faculdade em São Luís de Montes Belos, no Oeste goiano. Na noite de segunda (17), porém, tiveram uma surpresa nada agradável no retorno para casa. Era por volta das 23h30 quando os alunos precisaram desembarcar do coletivo para atravessar o desvio a pé. O motivo, segundo o graduando, era evitar que o veículo ficasse atolado no barro.

Universitários, sem escolha, enfrentaram as situação com bom humor e posaram para foto juntos (Foto: arquivo pessoal)

“Lá está um caos. O desvio foi finalmente entregue no domingo (16), após quase um mês de espera. No entanto, por conta da chuva, o local ficou só o barro. Diversos caminhões ficaram atolados e fomos avisados de que não teria como voltarmos para casa. Nossa alternativa foi atravessar o desvio na lama, no atoleiro. Foi terrível”, disse.

Na avaliação do graduando há descaso do Poder Executivo. “Em 2019, outro bueiro se rompeu e ficamos uma semana sem poder ir para a aula. Agora ocorre esse novo problema. Engraçado que sempre que o governador vem até nossa cidade é de avião ou helicóptero. Ele não anda de carro porque acho que ele sabe que o asfalto não está bom e ele não ousado o suficiente para colocar os veículos luxuosos em locais que estão péssimos”, criticou.

Revolta

Para um estudante de Ciências Contábeis, a situação é revoltante. Ele conta que além dos transtornos com a sujeira da lama, os alunos foram submetidos a perigos na via. “Já era tarde da noite. Havia carros, caminhões e carretas trafegando na GO. Também tinha uma retroescavadeira puxando veículos atolados. Ficamos em completo risco”, afirmou.

Segundo ele, alguns alunos chegaram em casa por volta das 3h da madrugada. O horário comum de chegada gira em torno das 23h da noite. “É triste e revoltante ter que passar por isso para estudar e buscar um futuro melhor. O local está barrento e é muito complicado passar. Não sabemos como vai ser hoje”, disse.

Resposta

Em nota, a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) informa que já notificou a empresa executora da obra, que se mobilizou para adequar o pavimento e evitar esse tipo de transtorno, já que chove muito na região.

A empresa disse à Pasta que passou a deixar uma equipe de plantão para atender emergências no trecho, enquanto durar o período chuvoso.