Murillo Soares
Do Mais Goiás

Demi Lovato recria noite de overdose no clipe de ‘Dancing With The Devil’

Cantora sofreu overdose de heroína em 2018; detalhes foram contados em documentário

Demi Lovato recria noite de overdose no clipe de Dancing With The Devil
Cena de "Dancing With The Devil", clipe de Demi Lovato

Demi Lovato está disposta abrir a Caixa de Pandora e expor ao público as dores que sofreu nos últimos dois anos. No videoclipe de Dancing With The Devil, divulgado nesta sexta-feira (2), a cantora recria a noite em que teve uma overdose de heroína.

Tal qual a cantora conta no documentário que leva o mesmo nome da canção, naquela noite de 24 de julho de 2018, tudo começou com uma taça de vinho e terminou com heroína e crack.

No vídeo, Demi Lovato aparece bebericando vários tipos de bebidas em uma balada. Depois, entra em contato com um traficante, que vai até a casa dela com uma mochila de drogas. Ela as usa, apaga e só é encontrada desacordada na manhã seguinte.

Dancing With The Devil termina com um close em uma das tatuagens mais recentes da cantora, onde lê-se a palavra “survivor” (“sobrevivente”, em Português).

Assista a Dancing With The Devil, de Demi Lovato:

Toda a história de superação de Demi Lovato pode ser ouvida de duas maneiras: no disco Dancing With The Devil – The Art Of Starting Over – lançado nesta sexta (2) – ou no documentário de mesmo nome – disponível no YouTube em três episódios.

Em ambos, a cantora fala sem qualquer pudor sobre a noite em que quase perdeu a vida. Segundo contou no projeto audiovisual, ela acreditava que sabia os limites do próprio corpo quando ao uso de drogas.

No documentário, ela também revela que teve três derrames e uma parada cardíaca naquela noite. “Meus médicos disseram que eu tinha apenas cinco ou dez minutos restantes de vida”, disse a artista.

Ela teve cegueira temporária devido aos danos causados no cérebro, mas que foram quase 100% tratadas. Por causa disso, Lovato diz que não pode mais dirigir, pois ficou com pontos cegos no campo de visão. Ela também conta que, por esta condição, se atrapalha em atividades rotineiras, como pegar um copo de água.