Francisco Costa
Do Mais Goiás

Delegado Waldir diz que deputados do PSL apoiam Lira por emendas e cargos

Orientação da sigla é por voto em Baleia Rossi; dissidência pode gerar expulsão, diz o congressista

Delegado Waldir diz que deputados do PSL apoiam Lira por emendas e cargos
Delegado Waldir diz que deputados do PSL apoiam Lira por emendas e cargos

Dos 36 parlamentares do PSL na Câmara, 19 migraram para o lado de Arthur Lira (PP-AL) – candidato do presidente Bolsonaro (sem partido) a liderança da Câmara –, contrariando a orientação do presidente nacional da sigla Luciano Bivar (PE), que defende o nome de Baleia Rossi (MDB-SP). O goiano delegado Waldir (PSL) não é um deles. “Estou com o Baleia. Ninguém está com o Lira porque ele é bonito. É pela oferta de R$ 16 milhões em emendas extraorçamentárias e dezenas de cargos no governo federal”, acusa.

De acordo com Waldir, a postura desses parlamentares pode, futuramente, gerar a expulsão dos dissidentes, uma vez que o partido é quem dá o mandato e a orientação da sigla é por Baleia. “Em 2022 ficam fora dos fundo partidário. Faremos uma grande limpeza no partido. Espero que o presidente Bivar faça isso”, declara.

O goiano declara, ainda, que o resultado da eleição da Câmara Federal, marcado para 1o de fevereiro, não está certo. Tanto Baleia quanto Lira dizem estar na frente. “E existe, de fato, uma divisão em todas as bancadas. DEM, PSDB, PSL… Até mesmo o PSOL, que raramente se divide, está.”

Bivar x Bolsonaro

Em outubro de 2019, Bolsonaro fez críticas ao presidente da sigla, Luciano Bivar, e escancarou a crise no partido. Em seguida, tiveram articulações pela retirada do delegado Waldir da liderança do PSL na Câmara, o que se concretizou com a entrada de Eduardo Bolsonaro. Houve, ainda, o rompimento com outros nomes, como da deputada Joice Hasselmann, o que causou um racha na sigla.

Com a saída do PSL, o presidente tentou criar o partido Aliança pelo Brasil. Contudo, a legenda ainda não conseguiu viabilizar as 500 assinaturas necessárias.