Cidades

Defesa de João de Deus recorre e protocola dois HCs no STF

Habeas Corpus se referem, respectivamente, a uma denúncia de abuso sexual e outra por porte ilegal de arma de fogo. Advogados mantém argumentação de que médium precisa de prisão domiciliar


Hugo Oliveira

Do Mais Goiás | Em: 20/06/2019 às 16:13:27


(Foto: Michael Melo/Metrópoles)
(Foto: Michael Melo/Metrópoles)

Advogados de João de Deus entraram mais dois pedidos de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF). Os documentos se referem, respectivamente, a um processo por abuso sexual e por porte ilegal de armas de fogo. A ação da defesa ocorre em resposta à recente negativa dessas iniciativas no Supremo Tribunal de Justiça.

De acordo com o advogado Carlos de Almeida Castro, a equipe jurídica sugere à Justiça a aplicação de medidas cautelares para que o cliente não precise permanecer encarcerado, como a prisão domiciliar. A defesa também insiste no argumento de que, mesmo apresentando melhoras, o médium ainda precisa de cuidados médicos.

No início deste mês, o Na manhã quarta-feira (5), o Ministério Público de Goiás (MP-GO) apresentou ao Judiciário a décima denúncia contra o médium, desta vez, por violação sexual mediante fraude contra dez vítimas.

João de Deus foi preso no dia 16 de dezembro de 2018 acusado de cometer abusos sexuais durante atendimentos espirituais. O médium é réu em nove denúncias. Em maio, a força-tarefa do MP criada para investigar crimes sexuais supostamente praticados por ele apresentou mais uma denúncia, em que João é acusado estuprar seis mulheres em condição de vulnerabilidade.

Os crimes teriam ocorrido em sala privativa de atendimento individual, em Abadiânia, no Entorno do Distrito Federal. Além das denúncias de crimes sexuais, ele é investigado por posse ilegal de armas de fogo e munição, falsidade ideológica, corrupção de testemunha e coação.

*Com informações do G1 Goiás