Defesa Civil notifica interdição a proprietário de terreno onde trabalhador foi soterrado

Obra no Jardim Balneário Meia Ponte está paralisada e proprietário foi autuado por exercício irregular da profissão de engenheiro civil


Fábio Alves
Do Mais Goiás | Em: 22/07/2019 às 11:09:44

Defesa Civil notificou interdição ao dono de terreno onde trabalhador foi soterrado por quatro horas (Foto: Divulgação / Defesa Civil)
Defesa Civil notificou interdição ao dono de terreno onde trabalhador foi soterrado por quatro horas (Foto: Divulgação / Defesa Civil)

A Defesa Civil de Goiânia fez, nessa segunda-feira (22), a entrega do Termo de Notificação e o Auto de Interdição da obra em que um trabalhador foi resgatado após ter ficado quatro horas soterrado, no Jardim Balneário Meia Ponte. O dono do terreno já havia sido autuado pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO) por exercício ilegal da profissão de Engenheiro Civil na última sexta-feira (19).

Representantes da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) estiveram no local pela manhã dessa segunda (22) para monitorar a área de preservação permanente de áreas próximas à propriedade em que aconteceu o acidente de trabalho. O departamento de comunicação da Amma fornecerá mais informações da vistoria assim que os agentes apresentarem relatos da ação.

A obra em que o trabalhador Gil Jorge de Carvalho, de 35 anos, sofreu acidente, não tinha participação de um profissional habilitado para coordenar e executar o processo construtivo. O serviço também era conduzido sem a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e Alvará de Construção. Os fiscais também relataram a falta de equipamentos de segurança no local. A Defesa Civil interditou a obra na quinta-feira (18), dia do acidente, e agora procede nos trâmites de notificação.

O autuado, que não teve nome divulgado, precisa fazer a contratação de um engenheiro civil para legalizar e retomar a obra. Um engenheiro civil precisa ser contratado para elaborar, registrar e conseguir a aprovação do projeto junto à Prefeitura de Goiânia. Depois, aguardar o alvará para elaborar as ARTs e executar a obra.

Dois acidentes

Gil Jorge de Carvalho fazia a escavação do terreno, na quinta-feira (18), para a construção de um muro de arrimo – que é um muro de contenção para suportar a terra e isolar terrenos irregulares. O trabalhador ficou soterrado até o pescoço quando a terra próximo à escavação cedeu. Ele foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros sem ferimentos graves.

No acidente de quinta-feira (18), um poste de energia cedeu. Quando fazia a reparação da linha telefônica, no poste, um dia depois, o técnico de comunicações Paulo Alves dos Santos caiu dentro do barranco da obra, teve fratura exposta no braço esquerdo e escoriações no rosto. Ele foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol) com estado regular, segundo a unidade de saúde.