INVESTIGAÇÃO

De dentro da cadeia, condenado ordenou execução de jovem no Jardim América

Dois envolvidos no assassinato foram presos, e autor dos disparos que ceifaram a vida de Gabriel Peixoto na última segunda-feira morreu em confronto com a Rotam


Aulus Rincon
Do Mais Goiás | Em: 07/01/2021 às 12:51:49

Pedro Bento, um dos suspeitos presos pela Polícia Civil (Foto: PC)
Pedro Bento, um dos suspeitos presos pela Polícia Civil (Foto: PC)

Um condenado que cumpre pena no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, segundo a Polícia Civil, foi quem ordenou a execução, na tarde de segunda-feira (4), de um jovem no Jardim América, em Goiânia. O autor dos disparos que tiraram a vida de Gabriel Peixoto Fernandes, de 23 anos, morreu no mesmo dia em confronto com a Rotam, e o condenado, e um terceiro participante da empreitada criminosa, foram autuados em flagrante.

Na segunda-feira pela manhã, segundo apurou a equipe da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), João Pedro Bento Dias, que cumpre condenação por tráfico de drogas na Penitenciária Coronel Odenir Guimarães (POG), telefonou para dois de seus comparsas, e deu a ordem para que eles assassinassem um conhecido, que estava lhe devendo R$ 2 mil em drogas. Lairton Pinto Almeida, e Wesley Ostermayer Cardoso, então, ligaram para Gabriel, e marcaram um encontro supostamente para que pudessem negociar a dívida.

Gabriel Peixoto, a vítima (Foto: Polícia Civil)

No local combinado, na Rua C-36, Gabriel foi executado com 10 tiros de pistola. Poucas horas depois, o autor dos disparos, Wesley Cardoso, foi localizado por militares da Rotam na Vila Americano do Brasil, em Goiânia, e, ao tentar fugir atirando contra os policiais, acabou baleado, e morto. Com ele, os PMs apreenderam duas pistolas, um revólver, munições, e porções de maconha e cocaína.

Mesmo com a morte do executor, a DIH continuou investigando o caso, e na tarde de quarta-feira (6), prendeu, ainda em flagrante, Pedro Bento, e Lairton Almeida. “Com essas prisões nós iniciamos uma nova metodologia de trabalho em Goiás, onde estaremos sempre atuando em conjunto com as demais forças de segurança, como a Polícia Penal, e vamos não apenas indiciar, mas também estaremos autuando, em flagrante, condenados que mesmo presos continuam ordenando crimes”, destacou o delegado Rilmo Braga, titular da DIH.

Como existe a suspeita que os dois autuados praticaram outros delitos em Goiânia, Rilmo Braga decidiu divulgar a imagem deles à imprensa a fim de que novas vítimas possam identificá-los. De acordo com a Polícia Civil de Goiás, a divulgação da imagem e identificação do preso foi precedida nos termos da Lei n.º 13.869, Portaria n.º 02/2020 – PC, despacho do delegado titular da DIH, nº 000010828006, e despacho DIH/DGPC- 09555 dos responsáveis pela investigação.

Vídeo da chegada de Lairton Almeida à delegacia: