DC Comics: cinco mulheres relatam assédio sexual na editora

Todas teriam sido assediadas pelo editor Eddie Berganza, na chefia da editora há mais de 20 anos

As denúncias de assédio sexual nos EUA chegaram às revistas em quadrinhos. Cinco mulheres denunciaram o editor Eddie Berganza, da DC Comics, em reportagem publicada pelo BuzzFeed.

Berganza está na DC há mais de 20 anos. Ele atualmente é chefe do grupo de edição e é responsável pelo atual evento da editora: Dark Knights Metal, do Batman, que é a série mais vendida da DC.

As cinco funcionárias relataram casos de comentários inapropriados, apalpadas e até beijos. Ao site, elas contaram que prestaram queixas formais contra Berganza no RH da editora em 2010 com a esperança de que ele fosse demitido. Ao invés disso, ele se tornou editor-executivo.

Mais tarde, em 2012, ele teria voltado a ser chefe do grupo de edição após outro incidente de assédio: ele teria beijado a força a namorada de um dos artistas freelancers da editora.

Em 2016, também circularam relatos de que Berganza estaria “em quarentena”: tomando conta dos títulos do Superman, apenas funcionários homens podiam trabalhar com ele.

Frente às acusações, a editora publicou uma nota dizendo: “A DC e a WB estão comprometidas a cultivar um ambiente de trabalho de respeito e dignidade, um que é seguro e livre de assédio para todos os seus funcionários. Levamos todas as acusações muito a sério e vamos investigá-las prontamente. Os funcionários sabem que violações às nossas regras serão resolvidas rápidas e decisivamente sujeitas a consequências”.