FICA 2016

Daniel Jobim faz show intimista em palco conturbado

Neto de Tom Jobim apresentou performance memorável, mesmo com problemas na organização do evento




Divertido, talentoso e ligeiramente tímido, Daniel Jobim encantou os fãs que o assistiram neste sábado (20), no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA) 2016, que é realizado até este domingo (21) na Cidade de Goiás. Infelizmente, não foram muitos que puderam acompanhar o espetáculo proporcionado pelo neto de Tom Jobim. Vaias, gritos, e até desistências ficaram marcadas para muitos que tentaram participar do show.

O local escolhido para a performance foi a sala de entrada do Palácio Conde dos Arcos, que fica em frente à Praça do Coreto. Cerca de trinta cadeiras estavam posicionadas em frente ao piano, nem de perto suficientes para receber o público de aproximadamente 300 pessoas que lutava por um lugar na varanda – e outras tantas que não haviam conseguido passar do portão. As portas, todas fechadas, causaram revolta.

A produção informou que um telão transmitiria imagens do pianista, e que não seria possível vê-lo ao vivo. Nesse momento, diversos presentes começaram a se retirar, e a situação só se acalmou quando o equipamento relutou em funcionar e foi ordenado que as portas se abrissem. Ainda assim, não mais do que 100 pessoas puderam entrar, a maioria em pé, entre eles muitos idosos e deficientes visuais.

A apresentadora foi duramente vaiada ao introduzir o artista. Só a graça e o carisma de Daniel para aplacar os ânimos: com simplicidade, o músico sentou-se e pediu o que o público gostaria de ouvir. Abriu com Água de Beber, Luiza, Corcovado, Wave e Águas de Março. “Toca Piano na Mangueira”, pediu alguém ao fundo, ao que ele respondeu, rindo: “Ah, essa não! É muito difícil”.

O repertório teve ainda Chega de Saudade, Insensatez, Bonita, Two Kites, que ele contou ser sua música preferida do avô quando criança, e uma composição sua, Dias Azuis. Na última, Só Tinha De Ser Com Você, ele comentou, sobre o jogo da seleção masculina de futebol nas Olimpíadas: “Se a gente sair agora, talvez dê tempo de ver a prorrogação”.

“Uma pena que tenha sido ali dentro e a gente não teve acesso, o espaço é muito pequeno. Um artista de renome internacional e não deu para assistir, nem mesmo pelo telão. Só deu para ouvir do lado de fora”, lamentou a funcionária pública Letícia Mendes. “Nós nem conseguimos entrar”, acrescentou a dentista Inês Mendes.

A resposta oficial da coordenação do FICA é que a sala do Palácio foi escolhida porque um lugar fechado foi pedido pelo Daniel, que queria fazer um show mais próximo do público, além de questões técnicas do piano, como afinação e transporte. As portas foram enconstadas posteriormente, de acordo os responsáveis, por causa da segurança de idosos e deficientes visuais. Já o telão, apesar de estar funcionando normalmente até alguns momentos antes do espetáculo, apresentou um problema um não identificado que impediu sua utilização.

Tópicos