Do Mais Goiás

Curva de casos de covid está perto da estabilidade em Goiás, diz infectologista

Para Boaventura Braz, houve uma redução nas internações por Covid-19 em enfermarias

Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás

A exemplo do que diz a Secretaria Estadual de Saúde, o infectologista Boaventura Braz de Queiroz afirma que Goiás pode estar próximo da estabilização na curva novos casos de covid-19. Boaventura afirma que, nos últimos dias, ocorreu uma redução no número de internações em enfermarias em Goiás. No entanto, o infectologista alerta que a curva pode voltar a crescer de modo acentuado se houver aumento de aglomerações.

Ao Mais Goiás, o médico afirmou não conseguir precisar o número dessa queda mas que, comparando aos meses anteriores, pôde ver uma diminuição na requisição de leitos de enfermaria. “A gente percebe, dentro de hospitais, que do ponto de vista de enfermarias houve uma redução de internações. Não zerou, mas reduziu”, pontuou.

Quanto às UTIs destinadas ao tratamento de pacientes com Covid-19, Boaventura afirmou não poder dizer com certeza se houve queda ou alta, uma vez que o sistema de internação nesses leitos difere dos de enfermaria, mas ressaltou que o nível de ocupação continua alto. “As UTIs, pelo fato dos pacientes ficarem longamente internados, ainda estão cheias”, disse. Conforme dados da Secretaria de Saúde de Goiás (SES-GO), a taxa de ocupação de UTIs em Goiás está em 89%.

O infectologista ressalta que tem percebido a chegada do platô, tal qual mencionado por Ismael, mas adiantou que o cenário pode se inverter, caso as aglomerações continuem. “A impressão que tenho é temos atingido o pico, mas eu não acredito que, se voltar a promover aglomerações, você vai conseguir baixar o número de casos no estado. A transmissão pode voltar a elevar”, conclui.