Segurança

Cronograma de recolhimento de pistolas em uso pela PM é apresentado

Documento concluiu que 2,5 mil armas modelo PT 24/7 PRO D, da fabricante Taurus, são inseguras e perigosas. Substituição deve começar na próxima terça-feira (14)


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 10/11/2017 às 09:57:36

Armas modelo PT 24/7 PRO D, da fabricante Taurus, foram consideradas inseguras e perigosas para o uso policial. (Foto: Reprodução)
Armas modelo PT 24/7 PRO D, da fabricante Taurus, foram consideradas inseguras e perigosas para o uso policial. (Foto: Reprodução)

A Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária do Estado de Goiás (SSPAP) apresentou nesta quinta-feira (9) o cronograma e data de início do recolhimento de 2,5 mil pistolas modelo PT 24/7 PRO D, da fabricante Taurus, em uso pela Polícia Militar de Goiás (PMGO) em cumprimento ao termo de interdição apresentado pela Auditoria do Trabalho. A substituição deve começar na próxima terça-feira (14) e deve ser concluída em até três meses.

A medida de interdição e recolhimento das armas é resultado da Auditoria do Trabalho realizada de agosto a outubro deste ano, que investigou acidentes e incidentes reportados pela PMGO relativos ao armamento. O documento concluiu que as pistolas PT 24/7 PRO D são inseguras e perigosas para o uso dos policiais, o que exige o seu recolhimento imediato e a sua substituição por armas comprovadamente seguras.

Como as pistolas estão distribuídas nos 246 municípios do Estado de Goiás, foi necessário fazer até o momento o levantamento por batalhão, ou seja, localizar e identificar a quantidade de armas que há em cada um. Somente depois desse levantamento foi possível criar um protocolo para o recolhimento.

Até o momento foram registrados 23 acidentes com vítimas na PMGO. Para prevenir acidentes futuros com policiais, seus familiares e terceiros envolvidos na ação policial, a auditoria do trabalho decidiu determinar o recolhimento imediato das armas PT 24/7 PRO D e a sua substituição por armas seguras.

“Para esse problema só existe uma solução: o recolhimento imediato das armas PT 24/7 PRO D e a sua substituição por armas seguras. A arma interditada é insegura e está proibida para a atividade policial da PMGO”, reforça a auditora fiscal do trabalho Jacqueline Carrijo.