Do Mais Goiás

Criança que morreu afogada em Aparecida disse aos pais que iria jogar bola

Vítima tinha doze anos e estava com amigos com idade entre dez e quinze anos

Represa em que a criança de 12 anos se afogou no Residencial Itaipu, em Goiânia (Foto: DIH)
Represa em que a criança de 12 anos se afogou no Residencial Itaipu, em Goiânia (Foto: DIH)

Os pais do adolescente encontrado sem vida em uma represa do Jardim Itaipu, em Aparecida, na noite do último sábado não sabiam que o filho iria nadar. Aos policiais da Delegacia de Investigação de Homicídios (DIH) que acompanharam o caso, os pais – que estavam em estado de choque – disseram ter sido informados pelo rapaz que ele iria jogar bola com os amigos.

O agente Charles Cruvinel, da DIH, relata que o corpo não possui sinais de violência e que não há indícios de que possa ter havido crime contra a vida do rapaz, que tinha 12 anos. “Ele sentiu-se mal e se afogou”, diz o agente.

Cruvinel afirma que no local existe uma tirolesa improvisada e que é comum grupos se jovens se divertirem na represa. “Por isso é importante que os pais estejam sempre em alerta”, afirma. Todos os amigos da vítima tinham entre dez e quinze anos. O caso será encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente. O resgate do corpo foi feito por mergulhadores do Corpo de Bombeiros Militar.