Mistério

Criança é baleada pelo ex-padrasto na Vila Delfiori, em Aparecida de Goiânia

O garoto de 2 anos está internado no Hugol. A mãe apresentou duas versões sobre o disparo, foi flagrada com produtos roubados e foi autuada por receptação


Kayque Juliano

Do Mais Goiás | Em: 25/03/2019 às 11:17:30


O menor precisou ser transportado pelos bombeiros do Corpo de Bombeiros(Foto: Reprodução/ Corpo de Bombeiros)
O menor precisou ser transportado pelos bombeiros do Corpo de Bombeiros(Foto: Reprodução/ Corpo de Bombeiros)

Um menino de 2 anos foi baleado na tarde deste domingo (24), em uma casa na Vila Delfiori, em Aparecida de Goiânia. De acordo com informações da Polícia Militar (PM), a mãe do menino entrou em contradição durante a abordagem, no entanto, afirmou que o ex-marido, que não é o pai do menor, atirou no garoto.

A criança foi levada pela mãe até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Buriti Sereno onde, posteriormente, foi transferida pelo helicóptero dos bombeiros para o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). Em nota, o hospital informou que o estado do menino é regular e respira espontaneamente.

De acordo com a PM, a mãe do menino, de 23 anos, apresentou duas versões sobre as circunstâncias em que o garoto foi ferido. A princípio, a jovem relatou que estava em um bar com a criança e um motoqueiro chegou atirando, momento em que o filho foi alvejado no tórax.

Na unidade de saúde, a mulher relatou o mesmo fato. A Polícia Militar (PM) foi acionada e, durante a entrevista, a mãe apresentou contradições e nervosismo. Por suspeitar da jovem, os policiais deram voz de prisão a ela, que acabou voltando atrás de sua versão anterior e relatou que estava em casa, na Vila Delfiori na companhia dos dois filhos e do ex-marido. De acordo com ela, o ex-companheiro manuseava a arma, momento em que houve um disparo acidental e o menor foi alvejado.

Ao ver que o menor estava ferido, o ex-marido fugiu e até o momento não foi localizado pelos policiais. Na casa da mulher, os miliares apreenderam diversos produtos roubados, e ela foi conduzida para o 4º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia, onde registrou o caso e foi autuada por receptação. A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Aparecida ficará responsável por apurar as lesões provocadas na criança.