Criança de dois anos auxilia pais cegos a caminhar e mexer no celular, em Fortaleza

Ana Clara Mello, chamada de Clarinha, percebeu que os pais possuem algumas limitações e transformou esse fato em brincadeira, ajudando-os em algumas atividades


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 14/11/2019 às 19:40:18

De acordo com Marlene Mello, a mãe, o comportamento foi incentivado e ensinado pelos próprios pais, mas também aceito naturalmente pela criança (Foto: Arquivo pessoal)
De acordo com Marlene Mello, a mãe, o comportamento foi incentivado e ensinado pelos próprios pais, mas também aceito naturalmente pela criança (Foto: Arquivo pessoal)

Uma criança de dois anos ajuda os pais, que são deficientes visuais, a caminhar e também usar o celular, em Fortaleza. A pequena Ana Clara Mello, chamada de Clarinha, percebeu que os pais possuem algumas limitações e transformou esse fato em brincadeira, ajudando-os em algumas atividades. A garotinha até sinaliza ao casal objetos caídos no chão da casa.

De acordo com Marlene Mello, a mãe, o comportamento foi incentivado e ensinado pelos próprios pais, mas também aceito naturalmente pela criança. Ela possui entre 5 e 10% da visão. “Quando ela tinha uns dez meses, eu a arrumei e falei: ‘filha, mostra para o papai como você está linda’ e eu fiquei pensando em como ela iria mostrar. Ela pegou a mão dele e foi mostrando o laço, a roupa, o sapato”, contou em entrevista.

Criança de dois anos auxilia pais cegos a caminhar e mexer no celular, em Fortaleza

Clarinha já tem mais de 300 mil seguidores que acompanham o cotidiano da família (Foto: Arquivo pessoal)

Com o crescimento da menina, ela mostrava para o pai os dentes que iam nascendo e também o tamanho do cabelo. “Ela sabe que eu enxergo um pouco e sabe que o pai dela precisa mais do que eu, então ela segura na mão do pai dela”, disse a mãe.

Marlene perdeu a visão quase que completamente por causa de uma hidrocefalia, ou seja, acúmulo de líquido no cérebro. Ela consegue ver apenas vultos coloridos, porém sem definição. O pai, Alex Mello, nasceu com retinose pigmentar, uma doença que a retina é danificada. O homem consegue ver apenas vultos. O casal se conheceu pela internet e namorou por meses à distância.

A gravidez de Clarinha não foi planejada e os futuros pais ficaram receosos por pensarem que não conseguiriam criar a menina. Durante a gestação, eles conversavam com a bebê sobre a situação de ambos. Famosa no Instagram, a criança já tem mais de 300 mil seguidores que acompanham o cotidiano da família.

*Com informações do site G1 Ceará