Do Mais Goiás

Criança abandonada pela mãe em Alto Paraíso sofreu abuso sexual, diz delegada

Delegada afirma que a mulher não sabia dos abusos do ex-namorado contra uma das filhas de 5 anos

Crianças foram encontradas pela Policia Militar e, segundo os policiais, a mais velha tinha 4 anos (Foto: Divulgação/PM)

Uma das cinco crianças que foram abandonadas pela mãe ao longo de sete dias em Alto Paraíso também foi vítima de abuso sexual. A informação foi descoberta pela delegada Bárbara Buttini, responsável por investigar o caso. Quem praticou o abuso foi o ex-namorado da mãe no dia 15 de janeiro deste ano. A polícia acredita que a mulher não sabia deste crime. A vítima é uma menina de cinco anos.

A delegada chegou à informação graças à conversa que uma psicóloga especializada teve separadamente com cada uma das crianças. A menina que sofreu o abuso disse que o homem “passava a mão” nela. O suspeito é menor de idade e fugiu para o Tocantins. Seu paradeiro é desconhecido.

Abandono

A menina tem uma irmã gêmea e outros quatro irmãos. Uma das crianças, de apenas 6 meses, foi levada por vizinhos para internação no hospital municipal da cidade no mesmo mês de janeiro. A criança chegou à unidade com febre, desidratação, apresentando crises convulsivas e baixo peso corporal.

Por esse motivo, a bebê acabou sendo transferida para um hospital em Goiânia, onde permaneceu internada por mais um mês, segundo a delegada.

Aos policiais a mãe alega que não abandonou as crianças em dezembro e que não tinha dinheiro para comprar o leite do recém-nascido em janeiro. “Ela nega tudo, mas a criança estava desidratada, o que indica que nem água estava recebendo”, explica Bárbara.

Presa mulher que teria abandonado os cinco filhos por 7 dias, em Alto Paraíso. PM afirma que criança mais velha tinha 4 anos

Presa mulher que teria abandonado os cinco filhos por sete dias, em Alto Paraíso (Foto: Divulgação/PC)

Bolsa Família para comprar álcool

Ainda segundo a delegada, a mulher também utilizava o dinheiro que recebia do programa social Bolsa Família, para comprar bebidas alcoólicas. O desvio do dinheiro foi constatado pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e pelo Conselho Tutelar.

A investigadora não soube informar o valor que a mulher recebia do programa. “Diversas vezes os assistentes sociais chegaram na casa dela para fazer o acompanhamento e ela estava chegando do mercado com cervejas. O único dinheiro dela era proveniente do bolsa família”, explicou a delegada.

Guarda e ameaças

Por conta dos episódios, a guarda das crianças foi concedida para a avó paterna. Isso porque, o pai das crianças está preso por crime de roubo em Brasília. No entanto, a mulher estava ameaçando os novos tutores dos menores.

“Ela dizia que isso não iria ficar assim, que ela poderia ir até presa de novo, mas que iria matar. A avó estava tão assustada que queria que as crianças fossem para um abrigo temporário, até que a situação fosse resolvida”, detalhou a investigadora.

Agora presa, a mulher responderá pelos crimes de abandono de incapaz, agravado por ser mãe das crianças, tentativa de homicídio na forma na forma omissiva imprópria, abandono material e ameaça.