Rompimento

Criador do ‘Dilma Bolada’ se diz traído e anuncia rompimento

'A vida é feita de escolhas e ela fez a dela', disse Jefferson Monteiro na web. Ele é criador de personagem que imita Dilma e dava apoio à presidente.





//

A crise política enfrentada pelo governo da presidente Dilma Rousseff ultrapassou o Congresso Nacional e chegou nesta quarta-feira (30/09) também às redes sociais.

Autor da paródia presidencial “Dilma Bolada”, que conta com mais de 400 mil seguidores no Twitter, o publicitário Jeferson Monteiro anunciou que a personagem virtual rompeu com a petista.

O rompimento gerou preocupação tanto no Palácio do Planalto como no PT, que estranharam a reação do publicitário.

“Eu não apoio mais [o governo federal] e a Dilma Bolada rompeu. Já que a presidente Dilma Rousseff foi para o outro lado, a Dilma Bolada permanece do lado que sempre esteve”, disse Monteiro ao jornal Folha de S.Paulo. “Infelizmente chegamos a um ponto no qual é impossível que eu continue a apoiar o governo Dilma”, acrescentou.

Em um desabafo publicado em seu perfil particular nas redes sociais, o autor de “Dilma Bolada” afirmou que o governo “acabou” e que, para a presidente, o que importa é apenas o apoio do empresariado e do partido do vice-presidente Michel Temer.

“Dilma não precisa do meu apoio no governo dela. Nem o meu e nem o de ninguém que votou nela. Afinal, para ela só importa o apoio do PMDB e de parte do empresariado para que ela se mantenha lá onde está. Trocou o governo pelo cargo”, criticou.

Monteiro avaliou ainda que a postura da administração da petista não condiz com o que esperavam os 54 milhões de brasileiros que a elegeram em 2014. Para ele, o que resta agora é repetir os versos da música “Vou Festejar”, cantada por Beth Carvalho e composta por Jorge Aragão. “Você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão”, escreveu.