Saúde

“Credeq oferece tratamento de primeiro mundo e já é modelo para o Brasil”, diz Associação Brasileira de Psiquiatria

“O Credeq é ciência pura, é uma referência que deve ser compreendida e valorizada", afirma presidente da ABP, Antônio Geraldo da Silva, durante visita à unidade




À medida em que avança no tratamento de dependentes químicos, o Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq) vai conquistando respeitabilidade e o aval dos profissionais e das instituições do setor. O presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Antônio Geraldo da Silva, afirmou  que Credeq Jamil Issy, inaugurado pelo governador Marconi Perillo há dois meses em Aparecida de Goiânia, deve se tornar referência para o Brasil.

A avaliação foi feita durante visita à instituição, em Aparecida de Goiânia, na companhia do conselheiro federal de Medicina, Salomão Rodrigues Filho, no último dia 12. “Estamos falando de um serviço de primeiro mundo”, avaliou. Antônio Geraldo, que estava em Goiânia para participar da 12.ª Jornada de Psiquiatria realizada pelo Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego), disse que a proposta do Credeq está alinhada ao que estudos científicos mais modernos propõem para a área.

“O Credeq é ciência pura. É colocar na prática o que é determinado pelos estudos científicos. É por isso que tem de se tornar modelo para o Brasil. É importante que seja entendido e valorizado como deve ser”, destacou. Segundo ele, o Credeq une a parte ambulatorial com a de internação e dispensa aos pacientes um tratamento que contempla várias áreas da saúde.

“O paciente não fica solto, mas num sistema integrado. Com uma equipe multidisciplinar, com atuação interdisciplinar, em que as equipes se comunicação. Essa proposta de integração social é de alta resolutividade. E vale não por um período apenas, mas para o tratamento como um todo. Isso funciona. Dá bons resultados”, frisou.
 
O presidente da ABP ainda comentou que o Credeq é a materialização de uma política de Estado que visa atender os anseios da população. Para ele, o governo federal e outros Estados devem se espelhar nesta proposta de tratamento. “Temos de fazer serviços como este aqui, que é política de Estado. A comunidade científica sempre apoiou o Ministério da Saúde nas propostas de realização de políticas públicas adequadas. É preciso mudar e ter pessoas que pensam o Brasil como Estado e não como governo. Este serviço Para jamais permitir que acabe com este nível de qualidade e cientificismo.
 
Ele ainda disse que política de saúde mental vigente no País atualmente não se trata de uma política de Estado e, sim, uma política de Governo, permeada de ideologia. “O Credeq vai na contramão dessa realidade e se apresenta como uma alternativa no enfrentamento ao uso de álcool e drogas. Uma alternativa excelente.Esse serviço tem que ser dominado pela comunidade, para não permitir que acabe. Isso aqui é muito importante.”
 
Durante a visita de mais de 1 hora, Antônio Geraldo ouviu detalhes sobre o projeto terapêutico e teve a oportunidade de conversar, com alguns pacientes e com profissionais que atuam na instituição. Ele avaliou que a proposta terapêutica do Credeq não deixa o paciente desamparado em nenhum momento e ainda contempla as famílias, uma vez que preserva os vínculos sociais.
 
Unidade tem 30 pacientes em tratamento

O Credeq Jamil Issy foi inaugurado pelo governador Marconi Perillo no dia 23 de junho deste ano. Foi o primeiro dos cinco em construção no Estado. O atendimento gratuito às vítimas do consumo de álcool, crack e outras drogas começou a ser realizado no dia seguinte e hoje a instituição conta com mais de 30 pacientes. A unidade, que custou ao Tesouro Estadual R$ 26,6 milhões, conta com 96 vagas para internação e foi construída pela Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop).

“Este é o primeiro Credeq, um centro de excelência no tratamento de dependentes de drogas licitas e ilícitas. É uma casa da esperança, que vai servir para aliviar a dor de mães, pais e famílias e, principalmente, garantir o retorno de cidadãos sadios ao convívio social. Agora vamos partir para a conclusão das outras unidades (Quirinópolis, Goianésia, Caldas Novas e Morrinhos). Já pedi a elaboração de projetos para o Entorno do Distrito Federal e Itumbiara”, afirmou Marconi, duarante a entrega da obra.

Marconi lembrou, à época da inauguração, que houve a busca de um conceito para o tratamento de dependentes químicos que fosse consensual. “Existem inúmeras tendências nesta área, mas buscamos uma que fosse consenso. Debatemos por muito tempo e em 2012 chegamos ao projeto definitivo. A partir daí, procuramos desenvolver um projeto de alta qualidade”.

O Credeq de Aparecida será gerenciado pela Organização Social (OS) Luz da Vida. O Centro de Referência contará, ao todo, com cerca de 360 profissionais. Entre equipamentos médicos hospitalares, artigos terapêuticos e mobiliários foram investidos R$ 2,6 milhões. Localizada na Avenida Copacabana, no Setor Expansul, a unidade terá custeio mensal de R$ 602 mil para o Estado.

O centro vai proporcionar a adesão ao tratamento de pacientes graves e de maior complexidade, com possibilidade de internação de até 90 dias e retorno para mais tempo conforme avaliação médica. O público-alvo será de crianças com até 12 anos incompletos, adolescentes e adultos. Todos serão admitidos na unidade, voluntariamente. As visitas familiares serão feitas diariamente.

A abertura está sendo gradual, com ênfase na ala adulta, composta por seis vagas de desintoxicação e 24 de reabilitação. O atendimento do Credeq será aumentado progressivamente até atingir a capacidade de 96 vagas de internação. “A abertura gradual é feita de acordo com critérios técnicos estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Todo o funcionamento seguirá um fluxo regulatório, estabelecido com o propósito de assegurar o fiel cumprimento do perfil da unidade”, disse o secretário da Saúde, Leonardo Vilela.

Regulação

Na primeira fase, o Credeq vai receber os pacientes encaminhados pelos 11 Centros de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), localizados em diferentes municípios do Estado. Posteriormente, quando estiver funcionando com sua capacidade plena, com um total de 96 vagas (36 adultos, 36 adolescentes e 24 infantil), o Credeq vai prestar atendimento às pessoas referenciadas pelos 74 Caps de todo o Estado e pelas unidades básicas de saúde daqueles municípios desprovidos de Caps.

O prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, classificou a obra como a maior referência em tratamento de dependentes químicos do País. “Com convergência e união de todas as forças e conceitos, estamos diante da maior obra de tratamento de dependentes do País. Não há lugar algum com uma estrutura dessas”, ressaltou. O vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton, disse que a obra marca um momento ímpar deste governo de Marconi e será uma contribuição para a solução de conflitos sociais.

Estrutura Física

A unidade terapêutica, que também servirá de centro de pesquisa avançada em toxicologia, conta com três núcleos principais: núcleo adulto, adolescente e infantil. O núcleo adulto tem um ambulatório médico com dois consultórios, uma área de pronto-atendimento com um consultório médico, uma casa de desintoxicação com seis vagas, posto de enfermagem (atendimento médico e de enfermagem 24 horas), uma sala de reanimação e copa. A casa de desintoxicação terá média de permanência de até sete dias.

O mesmo núcleo conta, ainda, com outras três casas de reabilitação, com capacidade para 12 vagas cada casa. Cada uma delas tem um posto de enfermagem com assistência médica 24 horas.

O núcleo para adolescentes conta com a mesma estrutura do núcleo adulto e a ala infantil tem desenho diferenciado, com isolamento dos demais núcleos citados. No centro da unidade há uma piscina adulto e infantil, quadra poliesportiva, vestiário masculino e feminino, quadra de peteca e um campo de futebol.

Abordagem Terapêutica

No Credeq o paciente passará, primeiramente, pela unidade de admissão que funcionará 12 horas. Ele será consultado com psiquiatra especialista em álcool e drogas e pela equipe multiprofissional composta por psicólogo, assistente social, enfermeiro. Nessa primeira triagem será avaliada a possibilidade de internação para a vaga de desintoxicação, com média de permanência de até sete dias, e na sequência, será encaminhado às casas de reabilitação para prosseguir com o tratamento. Caso o paciente não necessite de acompanhamento para desintoxicação, será encaminhado diretamente para as casas de reabilitação.

A estrutura ambulatorial funcionará 12 horas e atenderá os pacientes que receberam alta e necessitam voltar à unidade para acompanhamento sem internação (consultas, terapias, atividades lúdicas e outros). Além disso, assistirá também aos pacientes que não necessitam de internação quando avaliados primeiramente pela unidade de admissão, porém carecem de comparecer ao Credeq para acompanhamento complementar, assim como consultas ou participar de terapias.