Laylla Alves
Do Mais Goiás

Covid atinge 40 detentos em presídio de Santa Helena

Por ora, nenhum servidor do presídio recebeu o mesmo diagnóstico

Após preso ser internado com sintomas de covid, 39 detentos testaram positivo em Santa Helena
Após preso ser internado com sintomas de covid, 39 detentos testaram positivo em Santa Helena (Foto: divulgação)

Depois que um preso foi internado com sintomas de covid-19, outros 39 detentos testaram positivo no município goiano Santa Helena nesta quarta-feira (17).

Ao Mais Goiás, a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP) que os detentos que testaram positivo foram isolados dos demais e estão recebendo assistência à saúde.  Além dos encarcerados, na quinta-feira (18), foram realizadas testagens nos servidores do referido presídio. Porém, nenhum dos profissionais testou positivo para a doença.

A DGAP salienta, também, que durante este período de pandemia 21.790 presos cumprem pena nas 101 unidades prisionais de Goiás.

Vacina

O Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária publicou, no Diário Oficial da União do último dia 9, resolução que recomenda, a autoridades da saúde, dar prioridade à vacinação de servidores e pessoas privadas de liberdade, no âmbito do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra o Covid-19.

Citando dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), a Resolução nº14 lembra que 42.517 presos foram contaminados pela covid-19 entre março de 2020 e janeiro de 2021. Desses, 133 presos morreram por causa da doença. Na comparação com a população brasileira, a taxa de infecção foi 47% maior, Já a de letalidade foi 87% menor.

A resolução acrescenta que “quanto maior a demora da vacinação no sistema prisional, maiores serão os gastos em 2021 com a prevenção e assistência à saúde da massa carcerária”. Além disso, lembra que o aumento de infectados na população prisional pode acabar demandando ocupação de vagas em estabelecimentos hospitalares, “sobrecarregando ainda mais o sistema de saúde pública”, além de possibilitar a libertação de mais presos, conforme previsto pela Resolução 62 do Conselho Nacional de Justiça.

Diante dessa situação, a resolução publicada  recomenda às secretarias estaduais de Saúde que preparem planos operacionais, em parceria com as administrações penitenciarias, para viabilizar a vacinação de policiais penais e pessoas privadas de liberdade, observando as fases e o calendário previstos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19.

*Com informações da Agência Brasil