Em Aparecida de Goiânia

Costureiro é preso acusado de estuprar filha, enteada e sobrinha

Em 2010 Cledison Alves Rosa respondeu pelo mesmo delito. Vítimas disseram que eram ameaçadas por ele




Foi dando prosseguimento em uma investigação que começou em 2010 que a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Aparecida de Goiânia descobriu que o cabeleireiro Cledison Luiz Alves Rosa, de 56 anos, estuprou, além de uma sobrinha de dois anos, a própria filha e também uma enteada. Com prisão preventiva decretada no final da semana passada, Cledison foi localizado na casa onde morava no Bairro Cardoso, em Aparecida de Goiânia, e agora responderá pelos três crimes na cadeia.

No final de 2010 Cledison foi preso pela DPCA de Aparecida suspeito de estuprar uma sobrinha que na época tinha somente dois anos de idade. Ao receber a denúncia, porém, o Ministério Público sugeriu a liberação do costureiro, o que foi imediatamente acatado pela Justiça, e pediu que a Polícia Civil aprofundasse as investigações.

Recentemente a titular da DPCA de Aparecida, delegada Caroline Borges ouviu novamente parentes, vizinhos e conhecidos do costureiro e reuniu provas de que ele estuprou também uma filha que hoje mora nos Estados Unidos e uma enteada. “Descobrimos que ele sempre as molestava, passava as mãos nos órgãos genitais, além de obrigá-las a satisfazê-lo. Estas duas vítimas, que tem mais de 30 anos hoje, já eram maiores quando estas violências aconteciam, mas relataram que nunca procuraram a polícia porque o Cledison sempre ameaçava matá-las caso fosse denunciado”, contou Caroline Borges.

Em depoimento, Cledison disse que está sendo vítima de perseguição por ter assumido sua homossexualidade e então abandonado a ex companheira, que é mãe de uma das vítimas. O costureiro, segundo a delegada, também nega ter estuprado a sobrinha de dois anos em 2010. “Ele alega que estava somente limpando as partes íntimas dela quando foi flagrado”, destacou a titular da DPCA.