Comoção

Corpo de gerente de hipermercado é enterrado sob aplausos e pedido de justiça

Familiares ficaram muito emocionados no enterro. Uma amiga da vítima desmaiou durante o sepultamento. Suspeito do crime, o então namorado da vítima, está preso

Cidades

Joao Paulo Alexandre
Do Mais Goiás | Em: 20/02/2020 às 19:47:07

Corpo de gerente de hipermercado é enterrado sob aplausos e pedido de justiça (Foto: Leitor/Mais Goiás)
Corpo de gerente de hipermercado é enterrado sob aplausos e pedido de justiça (Foto: Leitor/Mais Goiás)

O corpo da gerente de hipermercado, Fernanda Souza Silva, de 33 anos, foi enterrado, na tarde desta quinta-feira (20), no Cemitério Municipal de Bela Vista de Goiás, região metropolitana de Goiânia. O enterro foi marcado por muita emoção, aplausos e pedido de justiça.

Antes, Fernanda foi velada no salão de uma funerária. Logo depois, houve um cortejo até o cemitério. Todo o processo durou pouco mais de duas horas.

O corpo da vítima foi encontrado enterrado e carbonizado em um matagal em Caldas Novas. Devido a estas condições, o caixão de Fernanda não pôde ser aberto.

A mãe e irmã da vítima choravam muito. Uma amiga da gerente desmaiou durante o enterro.

O suspeito do crime, Allan Pereira dos Reis, de 22 anos, foi quem apontou onde estava localizado o corpo de Fernanda. Ele foi preso, na última terça-feira (18), em Marianópolis (TO), a cerca de 185 quilômetros de Palmas. Ao ser abordado, o suspeito apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsificado. Com ele, foram encontradas uma faca, um alicate e uma passagem com destino ao estado do Pará.

Mais cedo, o delegado Antônio André Santos Júnior contou que um melão sujo de sangue contribuiu com a certeza de que Alan estava envolvido na morte da gerente.“Na sexta-feira já desconfiamos do namorado, já que ele apresentava versões distintas para PC e PM. Depois, ouvimos a mulher do suspeito, que afirmou ter sido levada por ele para fazer compras em um Uno Vermelho. No depoimento, ela revelou ter estranhado ver manchas de sangue em um melão que ele apanhou do assoalho do carro. Aí tivemos a certeza do envolvimento dele no desaparecimento”, relatou o delegado.

De acordo com as investigações, Allan Pereira teria enforcado a vítima – com um golpe conhecido como “mata-leão”. Logo depois, Fernanda foi morta a pauladas. O suspeito, então, levou o corpo da gerente e o abandonou entre Piracanjuba e Caldas Novas. No dia seguinte, ele voltou no local, ateou fogo e enterrou o corpo da vítima. O carro da vítima, um Fiat Uno, foi encontrado no último dia 19 de fevereiro, na zona rural de Bela Vista de Goiás.

Ao delegado, o suspeito contou que a motivação do crime seria porque o casal teria tido uma calorosa discussão e, em determinado momento, ela teria chamado os filhos dele de “bastardos.” Entretanto, a polícia não acreditou nessa versão e acreditam que o crime foi premeditado. No dia seguinte ao crime, ele utilizou o cartão e o carro da vítima para fazer compras com a ex-mulher e os dois filhos. “As investigações continuam, mas seja latrocínio ou feminicídio, o fato é que ele matou por muito pouco”, frisou o delegado.