Estacionou

Corinthians empata e perde chance de encostar na ponta

Time ainda pode ser ultrapassado pelo Fluminense, que neste domingo pega o Botafogo. O Bahia, com 14, dificilmente não irá para a zona de rebaixamento




A fácil vitória sobre o mesmo Bahia na Copa do Brasil deixou a impressão de que o Corinthians não teria problemas em conseguir três pontos em casa, neste sábado, pela 15.ª rodada do Campeonato Brasileiro, mas desta vez os visitantes mostraram força coletiva e seguraram o empate em 1 a 1, no estádio Itaquerão, em São Paulo. O time alvinegro chegou aos 28 pontos, perdeu a chance de encostar no Cruzeiro e ainda pode ser ultrapassado pelo Fluminense, que neste domingo pega o Botafogo. O Bahia, com 14, dificilmente não irá para a zona de rebaixamento.

Uma vitória deixaria o time alvinegro na cola do Cruzeiro e embolaria de vez a briga pelos primeiros lugares. Tal cenário sugeriria que o Corinthians fosse para cima desde o começo e apertasse as linhas defensivas do adversário para buscar o gol rapidamente, mas não foi o que se viu.

O estreante técnico Gilson Kleina fez uma boa leitura do jogo alvinegro e tratou de anular Jadson e Elias, principais articuladores do rival. Com seu cérebro e seu principal elemento surpresa vigiados, o Corinthians não teve fluidez coletiva, tanto que coube a Guerrero buscar o jogo pelos lados, mas ainda assim sem profundidade. Jogadas de perigo só em bolas alçadas na área.

A aplicação tática dos baianos permitiu que espaços fossem encontrados para o contra-ataque, especialmente nas costas de Fábio Santos, que travou duelo interessante com Railan. O problema é que falta qualidade ao time de Salvador e a execução sempre parava no erro de passes.

Restava, portanto, arriscar pelo alto e foi em uma cobrança de falta que Emanuel Biancucchi encontrou Kieza, que só deslocou de Cássio e abriu o placar, aos 35 minutos do primeiro tempo. Pouco deu para comemorar; sete minutos depois Gil, também de cabeça, empatou.

Embora a eficiência corintiana seja comprovada nos números do campeonato, às vezes o time de Mano Menezes peca pelo excesso de pragmatismo quando poderia ser mais agudo. A rigor, só a partir do meio da segunda etapa é que a pressão imaginada começou a surgir.

As entradas de Romarinho e Renato Augusto abriram o sistema defensivo baiano e deram mais velocidade às investidas. Na melhor chance, Léo Gago salvou em cima da linha o gol de Ralf, mas o Bahia também teve boa chance com William Barbio, defendida por Cássio.

No fim, a falta de inspiração alvinegra e a boa marcação dos baianos acabaram decretando o empate, resultado que embora não alivie muito a situação do Bahia, ao menos mostrou um caminho a se seguir. Pior para o Corinthians, que mais uma vez deixa pontos preciosos em seus domínios.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 1 BAHIA

GOLS – Kieza, aos 35, e Gil, aos 43 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Ralf (Corinthians); Fahel, Demerson e Rafael Miranda (Bahia).

ÁRBITRO – Anderson Daronco (RS).

RENDA – R$ 2.096.556,50.

PÚBLICO – 30.819 pagantes (31.014 no total).

LOCAL – Estádio Itaquerão, em São Paulo (SP).

CORINTHIANS – Cássio; Fagner, Gil, Cléber e Fábio Santos; Ralf, Elias, Petros (Renato Augusto) e Jadson (Romarinho); Guerrero e Romero (Luciano). Técnico: Mano Menezes.

BAHIA – Marcelo Lomba; Railan, Demerson, Titi e Raul; Fahel, Rafael Miranda, Léo Gago e Emanuel Biancucchi (Branquinho); Maxi Biancucchi (William Barbio) e Kieza. Técnico: Gilson Kleina.

Tópicos