FolhaPress

Coreia do Norte explode escritório de ligação com Coreia do Sul

Presidente da Coreia do Sul havia aconselhado a Coreia do Norte para evitar elevar a tensão e retomar o diálogo depois de ameaças divulgadas pela mídia estatal de Pyongyang

Coreia do Norte explode escritório de ligação com Coreia do Sul ... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2020/06/16/coreia-do-norte-explode-escritorio-de-ligacao-com-coreia-do-sul.htm?cmpid=copiaecola
A Coreia do Norte explodiu hoje o escritório de ligações com a Coreia do Sul na cidade fronteiriça de Kaesong, anunciou o ministério da Unificação, após dias de críticas e ameaças por parte de Pyongyang.

A Coreia do Norte explodiu nesta terça-feira (16) o escritório de ligações com a Coreia do Sul na cidade fronteiriça de Kaesong, anunciou o ministério da Unificação, após dias de críticas e ameaças por parte de Pyongyang.

“A Coreia do Norte explodiu o escritório de Kaesong às 14h49 locais”, afirma uma mensagem divulgada pelo ministério, responsável pelas relações entre as duas Coreias.

Pouco antes, a agência sul-coreana de notícias Yonhap informou sobre uma explosão e uma intensa fumaça na área do complexo industrial em que fica o escritório, que fica na cidade de Kaesong, na Coreia do Norte, e foi inaugurado em 2018 como parte dos projetos para diminuir as tensões na região.

Na segunda-feira (15), o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, aconselhou a Coreia do Norte para evitar elevar a tensão e retomar o diálogo depois de ameaças divulgadas pela mídia estatal de Pyongyang sobre o rompimento de relações e ações militares.

O aumento recente da tensão entre os vizinhos causava o temor de uma provocação militar norte-coreana e representa mais um revés em meio às conversas travadas para conter os programas nuclear e de mísseis da Coreia do Norte.

Além das ameaças de cortar relações, a mídia estatal insinuava a possibilidade de fechamento do escritório conjunto de ligação no vizinho e medidas retaliatórias devido a uma campanha de desertores para enviar panfletos contra o regime norte-coreano pela fronteira por via aérea.

“As promessas de paz na península coreana que o presidente Kim Jong Un fez diante de nossos 80 milhões de habitantes não podem ser revogadas”, disse Moon em uma reunião com assessores de alto escalão, referindo-se a pactos firmados em uma cúpula dos dois líderes em 2018.

Antes do pedido sul-coreano, a Coreia do Norte avisou que tomaria “ações” contra sua vizinha do sul por meio de ameaça de Kim Yo Jong, a influente irmã do líder norte-coreano Kim Jong Un, citada pela agência de notícias local KCNA.

“Sinto que já é hora de romper com as autoridades sul-coreanas. Tomaremos as próximas ações em breve”, afirmou Kim Yo Jong, uma importante conselheira de seu irmão.

*(Com AFP)