Do Mais Goiás

Conselho Municipal de Saúde emite nota contra a Copa América em Goiânia

O Ministério Público do Estado de Goiás já havia recomendado a não realização dos jogos no estado

Diretor da Eseffego é afastado por suspeita de liberação indevida de jogos no Estádio Olímpico
Estádio Olímpico Pedro Ludovico Teixeira. (Foto: Wikimedia Commons)

O Conselho Municipal de Saúde publicou na sexta-feira (4) nota em que se manifesta contrário à realização da Copa América em Goiânia. O documento, assinado pela presidente Celidalva Sousa Bittencourt, aponta que estado e município continuam em estado de calamidade pública, com aumento de internações e mortes. O Ministério Público do Estado de Goiás já havia recomendado a não realização dos jogos no estado.

O documento chama a atenção ainda que o estado está na rota de circulação dessa nova variante indiana do coronavírus (chamada de B.1.617). “Nosso vizinho, o Estado do Maranhão, registrou em (20/5) os primeiros casos da variante no Brasil que nos coloca como segundo país da América Latina a registrar a nova cepa – o primeiro foi a Argentina”.

O Conselho Municipal ainda chama de “decisão descabida” sediar a Copa América e que “confronta todo conhecimento científico” que vem sendo produzido acerca da transmissibilidade do COVID-19. A nota ainda diz que a decisão “penaliza e desrespeita ainda mais trabalhadores e trabalhadoras de saúde de todo país que vem se desdobrando para cuidar da população”.

“A prática antidemocrática continua difundindo inverdades ao afirmar que todos os jogadores e a comissão técnica (nove países com cerca de 60 pessoas de cada delegação) estarão imunizados. Não há tempo hábil para que isso ocorra considerando que são duas doses e o intervalo de 15 dias para o efeito da segunda dose. Não suportamos mais tanto desmando e tantas mentiras que escodem interesses espúrios e nada republicanos”, aponta.

Ministério Público

Ainda na quinta-feira (3), o Ministério Público recomendou a não realização da Copa América em Goiás, que cita a alta taxa de ocupação de leitos de UTI nos hospitais goianos. A recomendação expôs que o Centro de Operações em Saúde para Enfrentamento ao Coronavírus se posicionou contra a realização da competição, durante reunião realizada na quarta-feira (2).