Dicas para imunidade

Conheça cinco chás caseiros que vão aumentar a sua imunidade

Algumas plantas ajudam mesmo a fortalecer o organismo


FolhaPress
FolhaPress
Do FolhaPress | Em: 14/05/2020 às 15:41:36

(Foto: Istock)
(Foto: Istock)

Você gosta de chá? Está sentindo que vai gripar ou que o sistema imunológico anda prejudicado? Pois saiba que os compostos de algumas plantas ajudam mesmo a fortalecer o organismo. A seguir, conheça algumas infusões consagradas e como prepará-las para melhor aproveitar seus nutrientes.

Mas, atenção, não vale recorrer a eles como tratamento de alguma doença ou especialmente se você já toma algum remédio. “Algumas substâncias interagem com medicamentos e podem reduzir sua ação”, explica a nutróloga Andrea Pereira, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Guaco

“É uma das plantas mais importantes para o aumento da imunidade, pois melhora as nossas defesas contra vírus e bactérias, especialmente os que provocam doenças respiratórias”, explica Vanderlí  Marchiori, nutricionista e presidente da Associação Paulista de Fitoterapia.

“Os estudos mostram atividade anti-inflamatória, antialérgica e antibacteriana”, concorda Andrea. Mas atenção: há contraindicações. “Alguns trabalhos relatam um efeito tóxico em gestantes devido à vasodilatação e hipotensão provocadas pelo consumo da bebida”, alerta a nutróloga.

Para fazer o chá, ferva meio litro de água e misture uma colher de sopa das folhas picadas. Mantenha a fervura por mais cinco minutos e depois coe. Pronto! “Pensando na imunidade, sugiro um copo de manhã e à noite, por um período de, no mínimo, quinze dias”, aponta Vanderlí.

Limão

Célebre por conta de seu teor de vitamina C, no chá ele ganha outros destaques. “Ao ser fervido, ele libera polifenóis, compostos benéficos para a saúde”, explica Vanderlí. A própria vitamina C, aliás, é importante para as defesas, embora parte de seu teor vá embora na água. Ela é um antioxidante que reduz o estresse oxidativo, estado em que os radicais livres, agentes por trás do envelhecimento e do surgimento de doenças, fazem estragos no organismo.

Para aproveitar bem os polifenóis, corte uma unidade da fruta em quatro pedaços e ferva com casca e tudo por dez minutos. Ele vai bem com mel, até mesmo porque o resultado final fica um pouco amargo.

Gengibre

Ele é mais conhecido por seus poderes para segurar enjoos e melhorar a digestão. Mas a raiz usada há milênios pelos asiáticos parece ser capaz ainda de combater o estresse oxidativo e os níveis de inflamação pelo corpo e, assim, dar uma forcinha na prevenção de doenças. “Esse benefício é promovido principalmente pelo gingerol, ativo do gengibre, que tem ação contra fungos, bactérias e vírus”, explica Vanderlí.

Ele vai bem como complemento para saborizar outras infusões no lugar do açúcar –que, aliás, deve passar bem longe dos chás, se a ideia é obter alguma vantagem deles.

Para preparar o chá, rale duas colheres de sopa de gengibre, ferva meio litro de água, desligue o fogo e deixe-o na infusão por dez minutos.

Alho

Apesar de não ter estudos específicos sobre o chá, está claro para a ciência que o bulbo é um aliado das defesas do organismo. “Além de atenuar os sintomas da gripe, a alicina, substância presente no alho, tem ação bactericida e melhora nossa resistência aos micro-organismos”, fala Andrea. Sem contar que ele também tem zinco e selênio, que são minerais importantes para o sistema imunológico.

Só que, para liberar a alicina, é preciso amassar o alho (não cortar) e consumi-lo cru. Por isso, de nada adianta escaldar os dentes na água. Se quiser turbinar o chá com ele, inclua no final do preparo e mantenha por pouco tempo no calor.

Chá verde

Uma pesquisa recente do National  Agriculture  and  Food  Research  Organization, do Japão, mostrou que os compostos do chá verde tem efeitos para amenizar os sintomas da rinite e outras alergias respiratórias.

“Estudos em animais mostram que seus polifenóis previnem doenças”, explica Maria das Graças Lins Brandão, farmacêutica e professora da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Para preparar, use duas colheres de sopa das folhas secas em infusão para cada litro d’água e não tome mais do que um litro por dia.

Valem duas ressalvas. Primeiro, nem todos podem tomar o chá. É o caso de quem tem problemas na tireoide, arritmias cardíacas ou sensibilidade à cafeína. Se for comprar, fique de olho na procedência. “Pesquisas feitas em nosso laboratório mostraram que várias marcas comercializadas no país não possuem os polifenóis necessários para a atividade benéfica da planta”, conta Maria das Graças.

“Tempero” extra: mel e própolis

Os dois derivados do trabalho das abelhas dão uma baita mão para a imunidade e, embora não virem um chá propriamente dito, podem complementar o preparo do guaco e do limão. “Do ponto de vista imunológico, o própolis é ainda melhor, pois é produzido a partir das plantas e, por isso, contém seus fitoquímicos, substâncias benéficas para o organismo”, comenta Vanderlí.

Para aproveitar melhor o composto, pingue cinco gotas de seu extrato no chá que for consumir.

Mas cuidado com as misturas

As receitas ensinadas aqui foram elaboradas por nutricionistas, mas tome cuidado na hora de criar suas próprias infusões. “Costumo recomendar que se consuma, preferencialmente, a infusão com base em apenas uma planta para evitar possíveis interações entre elas”, diz Vanderlí.

“As pessoas pensam que, como se trata de algo natural, não faz mal, mas cada planta tem sua dose de toxicidade”, finaliza.