DETIDO

Condenado por roubos a banco e a carros-fortes na Bahia é preso em Goiás

Dois arrombamentos de caixas eletrônicos em Goiás também são atribuídos ao criminoso, que morava atualmente no Entorno do Distrito Federal

Cidades

Aulus Rincon
Do Mais Goiás | Em: 14/02/2020 às 13:17:24

Dois arrombamentos de caixas eletrônicos em Goiás também são atribuídos ao criminoso, que morava atualmente no Entorno do Distrito Federal (Foto: Divulgação/PC)
Dois arrombamentos de caixas eletrônicos em Goiás também são atribuídos ao criminoso, que morava atualmente no Entorno do Distrito Federal (Foto: Divulgação/PC)

Um foragido da Justiça que tem condenação na Bahia por roubo a banco na modalidade “Novo Cangaço” e por ataques a carro-forte, foi localizado e preso por agentes do Grupo Anti Roubos a Bancos (GAB), da Deic, em Águas Lindas, onde estava residindo há pelo menos dois anos. Em Goiás, segundo apurou a polícia, o condenado, que tem 40 anos, teria arrombado pelo menos dois caixas eletrônicos no ano passado.

As equipes do GAB, da Deic, chegaram até o condenado após descobrirem que uma pessoa que mudou-se há quase dois anos para Águas Lindas de Goiás havia tirado documentos pessoais a partir de uma certidão de nascimento falsificada. Quando localizado por agentes do GAB e do Grupo Tático da Polícia Civil de Goiás, o GT-3, o condenado fugiu em alta velocidade e só parou após capotar o veículo Fiat Uno que dirigia.

Na casa em que ele morava os agentes encontraram luvas, rádios comunicadores, roupas e ferramentas que teriam sido usadas no arrombamento de dois caixas eletrônicos naquela cidade no ano passado, sendo um em uma farmácia, no dia 22 de maio, e outro em uma galeria, no dia 3 de novembro.

“Em Goiás ele mudou de nome e também de modalidade criminosa, passando do roubo para o arrombamento, embora tenha continuado agindo com violência. Neste segundo caso apurado, ele e os comparsas renderam o segurança da galeria, que passou a madrugada todo amarrado, enquanto eles cortavam o caixa eletrônico”, relatou o delegado José Antônio de Podestá, chefe do GAB, da Deic.

Além de ser indiciado por estes dois roubos, o condenado foi autuado em flagrante por uso de documentos falsos. A prisão dele já foi comunicada à justiça da Bahia.