Condenado

Condenado outras vezes, Beira-Mar pega mais 120 anos de prisão

Acumuladas, penas do traficante somam 320 anos. Ele foi julgado pela rebelião com mortes no presídio de Bangu





//

Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi condenado a 120 anos pela rebelião com mortes no presídio de segurança máxima Bangu I. Somadas, as penas do traficante chegam a 320 anos. As informações são do G1.

O julgamento se encerrou na madrugada desta no rio de Janeiro. Beira-Mar foi apontado como o líder de uma guerra de facções ocorrida dentro do complexo penitenciário, em 2002, e condenado pela morte de quatro pessoas na rebelião.

A sessão durou mais de 10 horas. O traficante foi condenado por quatro homicídios duplamente qualificados, por motivo torpe e sem dar chance de defesa às vítimas: os detentos Ernaldo Pinto Medeiros (Uê), Carlos Alberto da Costa (Robertinho do Adeus), Wanderlei Soares (Orelha) e Elpídio Rodrigues Sabino (Pidi). Para cada crime, foram sentenciados 30 anos de cadeia.

“Eu cometi vários crimes. Nesse, eu sou inocente”, disse Beira-Mar na sessão.

A acusação aponta que o traficante teria aberto caminho dentro do presídio para invadir a ala onde ocorreu a rebelião — ele nega. Beira-Mar alegou que ficava na ala A, junto com uma facção que também era distribuída pela ala C, de onde teria partido o ataque executado por 20 criminosos. Os quatro mortos eram da quadrilha que ficava na ala D.