Comprar em açougues de bairros é a solução para encontrar carne mais barata em Anápolis

Quem opta por açougues fora dos supermercados, segundo o Procon, poder encontrar uma variação de 71% no quilo da panceta suína, por exemplo

Pesquisar para pagar menos
Economista recomenda pesquisar em açougue de bairro porque comerciantes dessas regiões focam na margem de lucro e geralmente têm dificuldade de precificar o produto por segmento social (Foto: Reprodução)

O professor e economista Márcio Dourado compra filé mignon em Anápolis por R$ 39,90 o quilo. O mesmo produto sai a R$ 69,99. A diferença de preço foi constatada por uma pesquisa do Procon realizada na cidade entre os dias 13 e 15 deste mês.

A maior diferença encontrada foi no valor da costelinha suína, que variou de R$ 15,99 a R$ 29,99 nos supermercados.

Além da costelinha, o quilo do frango inteiro foi encontrado nos açougues de supermercados com diferença entre R$ 9,69 e R$ 16,49, uma variação de 70%. No quilo do filé mignon, de 63%. O menor preço encontrado pelo Procon no produto foi de R$ 43,00 e o maior, R$ 69,99.

Como pagar mais barato

De acordo com o economista, a dica é pesquisar em açougue de bairro, nas periferias. Segundo Márcio Dourado, os comerciantes dessas regiões focam na margem de lucro e geralmente têm dificuldade de precificar o produto por segmento social do cliente.

“Muitas vezes, carnes mais nobres não tem tanta preferência do consumidor de periferia. E isso faz com que, para serem vendidas, tenham um preço mais em conta”, explica. Quem opta por açougues fora dos supermercados, segundo o Procon, pode encontrar uma variação de 71% no quilo da panceta suína, por exemplo, tendo como o menor preço R$ 13,99 e chegando a custar R$ 23,99.

Para o quilo da coxinha da asa, a variação encontrada foi de 33%, sendo o menor preço de R$ 14,99, chegando a R$ 19,99. O quilo da linguiça de frango também apresentou variação entre um estabelecimento e outro, com o menor preço encontrado em R$ 16,99 e o maior em R$ 25,00, ou seja, diferença de 47%.

Pesagem na frente do cliente

De acordo com o diretor do Procon Anápolis, Wilson Velasco, as informações de preço devem ser exibidas de forma clara e a pesagem deve ser feita na frente do consumidor. O diretor do órgão destaca também a importância de se exigir a nota fiscal.