Do Mais Goiás

Comerciantes denunciam furtos de cabos de energia na Avenida Bernardo Sayão

Segundo os empresários, já são mais de quatro denúncias de furtos de cabos na região somente nesta semana

Segundo os comerciantes, já houveram mais de quatro denúncias de furtos de cabos na região somente nesta semana
Comerciantes denunciam furtos de cabos de energia na Avenida Bernardo Sayão (Foto: Reprodução/Leitor Mais Goiás)

Comerciantes denunciam que, somente nesta semana, aconteceram pelo menos quatro casos de furto de cabos de energia na região da Avenida Bernardo Sayão, no Setor Centro-Oeste, em Goiânia. Segundo eles, que temem se identificar, 0s cabos são cortados e levados pelos criminosos e o prejuízo fica para os trabalhadores.

A dona de uma loja de roupas da região afirma que tentou ajuda da Enel, responsável pela distribuição de energia elétrica no estado, mas obteve resposta de que empresa não arca com os custos.

“A gente que tem que ir atrás de eletricista, comprar fios de cobre, para poder puxar novas instalações e ainda ficar esperando pra ver se o bandido vai vir de novo roubar os fios e você ficar sem energia”, afirma Maria Madalena de Lima.

Segundo os comerciantes, a própria Enel teria afirmado já ter recebido mais de quatro denúncias de furtos na região. “Registramos um boletim de ocorrência, porque a gente achava que assim teríamos assistência. Mas não, temos que arcar com tudo. No final das contas ficamos com o problema e prejuízo nas mãos”, desabafa a comerciante.

Um boletim de ocorrência foi registrado pelos comerciantes nesta quarta-feira (17). Mas, até o momento nenhuma investigação foi iniciada e, portanto, nenhum suspeito foi identificado.

Custos

Procurada pela reportagem, a Enel informou que enviou um técnico até o local para avaliação. Contudo, disse que os cabos mencionados pelos comerciantes são referentes a rede interna e que, por isso, não são de responsabilidade da empresa.

Atualmente os fios de cobre custam em média R$ 18,00 o metro. Para ter os novos cabos, Maria Madalena afirma ter pago R$ 1.600,00. “Os bandidos vendem porque é caro, né? Mas é desanimador! A gente paga funcionário, IPTU, ainda temos uma energia cara e não temos assistência”, explica.