Do Mais Goiás

Cerveja de mandioca foi feita para combinar com culinária goiana, diz mestre cervejeira

Cerveja de aipim Esmera foi lançada em Goiás esta semana. Conheça ainda as etapas de produção da bebida

Esmera de Goiás, Cerveja de mandioca foi feita para combinar com culinária goiana, diz mestre cervejeira
(Foto: Divulgação Ambev)

Lançada oficialmente na última terça-feira (8), a cerveja de mandioca, Esmera de Goiás,  foi pensada “para combinar perfeitamente com a culinária goiana, como galinhada, pamonha e até mesmo arroz com pequi”, afirmou a mestre cervejeira da Ambev, Daniela Kikuchi. A profissional ainda classifica a bebida como “saborosa e refrescante”.

“Suave, refrescante e marcante. Essas são as características que definem a Esmera de Goiás, uma cerveja que tem em sua composição a fécula de mandioca. Ela é utilizada no início do processo produtivo junto com os outros ingredientes. É essa fécula da mandioca responsável por dar essa leveza para o produto” afirma.

Segundo Daniela, antes de decidirem pelo uso da mandioca na produção da bebida, a empresa estudou a utilização de outros alimentos típicos do Estado.

“Pensamos no Pequi e também na Jabuticaba. Contudo, com essas matérias primas não alcançaríamos o impacto social que estamos tendo com a mandioca. Nada melhor do que aderir uma cultura característica do nosso Goiás“, explica Kikuchi.

A Esmera de Goiás é uma cerveja do tipo Pilsen. Segundo a Ambev, a bebida tem a cor clara e sabor e aroma suave com o toque da mandioca. “É uma bebida diferente. Além disso, sua produção será destinada ao mercado regional”, afirma a empresa.

A produção de uma cerveja

De acordo com a mestre cervejeira da Ambev, Daniela Kikuchi, a Esmera de Goiás “segue a linha de produção de uma tradicional, com o adicional da mandioca”.

Mas como é feita uma cerveja? Segundo o Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv), são quatro os elementos fundamentais para a produção: água, cereais, lúpulo e fermento.

“Historicamente, cereais como cevada, milho, arroz e trigo são utilizados no processo, sendo o malte de cevada o principal ingrediente. O açúcar, em pequenas proporções, também pode ser utilizado”, afirma o sindicato.

Até chegar no produto final, são cinco as etapas de fabricação:

Sala de fabricação – Local onde as matérias-primas são misturadas em água e dissolvidas, para se obter uma mistura líquida açucarada chamada mosto, que é a base para a futura cerveja.

Fermentação – o mosto recebe fermento e é acondicionado em tanques. Nesta etapa, o fermento transforma o açúcar do mosto em álcool. A fermentação é a fase mais importante para o paladar da bebida, pois o fermento produz outras substâncias que são as responsáveis pelo aroma e pelo sabor do produto.

Maturação – Concluída a fermentação, a bebida é resfriada a zero grau e tem início a maturação. Nesta fase ocorrem transformações para aprimorar o sabor. A maturação leva cerca de 30 dias, variando de uma cervejaria para outra. Ao final da fase, a cerveja está praticamente pronta, com aroma e sabor finais definidos.

Filtração -Após maturada, a cerveja passa por uma filtração, que elimina partículas para deixar a bebida transparente e brilhante. A filtração não altera a composição ou o sabor.

Enchimento e pasteurização – O enchimento é a fase final do processo. Logo após, a cerveja é submetida a pasteurização, quando é envasada em garrafas ou latas. A pasteurização é um processo térmico, no qual a cerveja é submetida a um aquecimento e depois um resfriamento.

Caiado participa do lançamento de cerveja feita com mandioca por goianos