Do Mais Goiás

Comandante da Rotam explica por que a tropa deixou buscas a Lázaro; ouça

Desentendimento na última semana fez com que comandante da unidade retirasse suas equipes da cidade

O comandante da Rotam, Benito Franco, explicou o motivo de as tropas da unidade terem deixado as buscas por Lázaro Barbosa. (Foto: Altemar Santos/mais Goiás)
O comandante da Rotam, Benito Franco, explicou o motivo de as tropas da unidade terem deixado as buscas por Lázaro Barbosa. (Foto: Altemar Santos/mais Goiás)

Apesar de ser considerada uma das unidades de elite mais bem preparadas da Polícia Militar de Goiás, a Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam) não está mais participando do trabalho de buscas ao foragido Lázaro Barbosa de Souza, de 32 anos, suspeito de cometer chacina contra família do DF. A tropa foi retirada do local no último final de semana, após desentendimento com outros policiais, que também participam da força tarefa. O suspeito está foragido há 15 dias.

Na última semana, as buscas foram intensificadas com a chegada de mais de 200 agentes de segurança, inclusive com policiais da Rotam. Na sexta-feira (18), o próprio comandante da unidade, tenente coronel Benito Franco, foi até Cocalzinho de Goiás para participar da força-tarefa. No dia seguinte, porém, todas as equipes da unidade deixaram a cidade.

Em um áudio, divulgado no sábado passado (19), o comandante da unidade disse que determinou o retorno de seus policiais porque eles estariam sendo usados pelas outras equipes, que se negavam a entrar no mato. O militar reclamou que nem mesmo uma solicitação para que um dos helicópteros envolvidos na operação acompanhasse as equipes em uma incursão na mata foi atendida.

“A determinação para a retirada da tropa foi minha, pela deselegância com que fomos tratados e até porque não existia nenhuma ordem de operação para que lá estivéssemos”, destacou Benito Franco no áudio.

Por meio de nota, o comando da Polícia Militar disse que a Rotam saiu da operação para que volte e realizar sua atividade fim, que é o patrulhamento ostensivo. Em relação ao áudio gravado pelo tenente coronel Benito, a corporação disse que está analisando o teor do mesmo.

Confira a íntegra da nota

“A propósito do questionamento sobre a participação do Batalhão de Rotam na operação para captura de Lázaro Barbosa Sousa, o Comando Geral da Polícia Militar informa o que se segue:

– Equipes do Batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam) estão compondo as ações estratégicas que objetivam garantir a paz da população da região e capturar o fugitivo Lázaro Barbosa Sousa. A especializada foi redirecionada para sua atividade fim, que é o patrulhamento urbano da região.

– Sobre o conteúdo do áudio questionado, o Comando Geral da Polícia Militar informa que está sendo apurado”.