Do Mais Goiás

Com sigilos quebrados, Ernesto Araújo deve ir para consulado nos EUA

Esposa do ex-ministro pode ser transferida para Hartford, Connecticut, e ele deve acompanhá-la

Com sigilos quebrados, Ernesto Araújo deve ir para consulado nos EUA
Com sigilos quebrados, Ernesto Araújo deve ir para consulado nos EUA (Foto: Reprodução)

Esposa de Ernesto Araújo, a diplomata Maria Eduarda de Seixas Corrêa pode ser transferida para o Consulado do Brasil em Hartford, Connecticut, EUA. Com isso, o ex-ministro das Relações Exteriores deve acompanhá-la na condição de marido. A informação é do Metrópoles.

Vale lembrar, Ernesto Araújo se tornou investigado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, no Senado, em 2 de junho. Atualmente, ele está de licença remunerada do Itamaraty por 90 dias.

A CPI pediu a quebra de sigilos telefônicos e telemáticos dele, além do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, e da secretária de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, conhecida como “Capitã Cloroquina”.

A defesas defesas dos investigados pediram ao Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir as quebras, mas os ministros Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes negaram recursos, no último dia 12. Quem negou o pedido de Ernesto foi Alexandre de Moraes.

No despacho, ele disse os poderes da CPIs são semelhantes aos de magistrados. Além disso, afirmou que “os direitos e garantias individuais não podem ser utilizados como um verdadeiro escudo protetivo da prática de atividades ilícitas, tampouco como argumento para afastamento ou diminuição da responsabilidade política, civil ou penal por atos criminosos”. Destaca-se, Pazuello, Mayra Pinheiro e Ernesto já participaram da CPI como testemunhas.

Recentemente – já após a autorização pela quebra de sigilos -, a diplomata Maria Eduarda de Seixas Corrêa, hoje lotada na Secretaria de Comunicação e Cultura, pediu ao Itamaraty para ser transferida de Brasília para Washington ou outros três postos. A informação é que ela irá para Hartford.