Com apoio de Bolsonaro, Rodrigo Pacheco é eleito presidente do Senado

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) foi derrotada com 21 votos

Congresso terá boa vontade com PL do governo, diz presidente do Senado
Rodrigo Pacheco cancela reuniões do Senado desta semana (Foto: Reprodução / Poder360)

Depois de iniciar a votação por volta das 17h desta segunda-feira (1º), os senadores definiram Rodrigo Pacheco (DEM-MG) como presidente do Senado pelos próximos dois anos. Ao todo, 78 votaram no pleito, que também teve Simone Tebet (MDB-MS) na disputa. Pacheco teve 57 votos.

Destaca-se, o pleito também teria Lasier Martins (Podemos-RS), Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e Major Olímpio (PSL-SP). Contudo, eles desistiram antes do início do pleito, ao longo da tarde – os três apoiaram Simone Tebet.

Rodrigo Pacheco era o candidato do Planalto, mas também contou com o apoio de siglas de esquerda, como o PT e o PDT. Natural de Porto Velho (RO), ele é advogado e cumpriu um mandato como deputado federal por Minas Gerais (2015-2019) e foi presidente da Comissão e Constituição e Justiça da Câmara, sendo eleito para o Senado em 2018.

No Senado, a votação foi feita, manualmente, por cédula de papel. Rodrigo sucede Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Na Câmara, onde ocorre a votação do presidente nesta noite de segunda, a urna é digital.