Ton Paulo
Do Mais Goiás

CMTC diz que não consegue cumprir distanciamento entre passageiros nos ônibus

CMTC se manifestou sobre novas medidas da prefeitura de Goiânia contra covid-19

Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), responsável pelo gerenciamento e planejamento do transporte coletivo em Goiânia e Região Metropolitana, se manifestou sobre o decreto municipal que estabelece novas restrições para a capital e já adiantou que não é possível transportar apenas passageiros sentados em horário de pico. A afirmação é uma resposta ao trecho do documento que determina o distanciamento de passageiros durante as viagens.

O decreto de nº 1601, publicado na última segunda-feira (22) pelo prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos) traz, entre outras, determinações para o funcionamento de bares, restaurantes, escolas, shoppings e demais estabelecimentos, como igrejas, além de especificar restrições e medidas para o transporte coletivo na capital.

Conforme o documento, é obrigatório o uso de máscaras de proteção nos terminais e no interior dos ônibus e também a adoção, por parte das concessionárias, de medidas de higienização e ventilação dos veículos. No entanto, o ponto de controvérsia do decreto é o que determina “o distanciamento entre os passageiros durante a viagem, em conformidade com o disposto na legislação relativa ao enfrentamento e prevenção da pandemia” do coronavírus.

Em nota, a CMTC diz que concorda com as ações de governo e afirma, citando “estudos realizados por todo o Brasil”, que o transporte público já oferece ambiente aberto e ventilado “em índice de 63% nos ônibus, pois os veículos circulam com as janelas abertas.

Porém, conforme o órgão, os ônibus não conseguem “transportar passageiros sentados em horário de pico” o que, na prática, tornaria a determinação do decreto municipal impraticável.

A CMTC continua trabalhando em ações que promovam deslocamentos seguros e com ações diárias. A operação na RMTC para o deslocamento dos atuais 270 mil passageiros/dia está em constante mudança com foco na segurança. O sistema RMTC é metropolitano com 18 cidades atendidas e com linhas que atendem esse modelo compartilhado”, afirma.