Série B

Clássico goiano termina sem gols

Sem criatividade e com pouca qualidade técnica, Vila Nova e Atlético mantiveram empate ruim para ambos na 11ª rodada da competição


Raphaela Ferro
Do Mais Goiás | Em: 16/06/2018 às 20:29:03

Estádio Serra Dourada foi palco do clássico entre Vila Nova e Atlético válido pela 11ª rodada da Série B
Estádio Serra Dourada foi palco do clássico entre Vila Nova e Atlético válido pela 11ª rodada da Série B

Vila Nova e Atlético somam mais uma rodada sem vencer. Enquanto o Dragão completa cinco rodadas sem vitória, o Tigre está há sete sem somar três pontos de uma vez só. Os dois goianos se enfrentaram neste sábado (16), no Estádio Serra Dourada, pela 11ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, mas não conseguiram animar nem o torcedor colorado, que pôde ir ao clássico, de torcida única, nem os atleticanos, que tiveram de acompanhar o jogo de casa. O resultado, um empate sem gols difícil de acompanhar até o fim, não melhora a vida de nenhum dos dois. Ambos estão no meio da tabela de classificação, se afastando cada vez mais do topo.

As duas equipes fizeram uma partida de muito enfrentamento físico entre os jogadores, com entradas duras e pouca apuração técnica da modalidade esportiva ali disputada. O Vila Nova iniciou o jogo no ataque, dando pouco espaço para o rubronegro, que tentava reagir em contra-ataques. Mas durou pouco. As ações coloradas foram predominantes até os 15 minutos, quando o Atlético equilibrou o duelo e passou a se aproximar do gol de Mateus Pasinato com mais perigo do que o Tigre levava ao outro lado, para perto de Jefferson.

Assim, a primeira chance real de um chute se tornar gol saiu dos pés de Tomas Bastos, aos 33 minutos. O Atlético construiu boa jogada do meio de campo para frente. A bola chegou aos pés do jogador do Dragão, que, fora da área, chutou e exigiu todo o contorcionismo possível do goleiro colorado. Aos 41, houve resposta. Alan Mineiro fez o que o Vila Nova parecia não conseguir fazer: chutou em direção ao gol. Distante, mesmo lenta, a bola rasteira deu a impressão de que poderia entrar. Foi desviada e saiu. Alan Mineiro tentou o chute à distância novamente cerca de cinco minutos depois, dessa vez, buscando o canto superior do gol… A bola passou por cima, sem assustar Jefferson.

A etapa final começou com o Atlético seguindo mais enfático no ataque, mas sem efetividade. Os dois times pecaram muito na criação de jogadas. Quando se aproximavam da área adversária, era de forma desorganizada e confusa. Assim, o Vila até teve boa chance aos 17 minutos do segundo tempo, quando Wellington Reis lançou a bola na área adversária e quase teve a sorte de ver algum defensor jogar contra o próprio time.

Aos 21, foi a vez de Mateus Anderson e Maguinho criarem, mas não obterem resultado satisfatório. Nada que alterasse o placar. A torcida colorada se animou, tentou com a voz empurrar o time. O placar seguiu inalterado. A pressão do Tigre não diminuiu, quase se transformou em gol no último minutos, quando a bola parou no travessão, mas não teve efeito, e o 0 a 0 esteve de acordo com o pouco futebol apresentado, mesmo sendo perceptível o esforço em muitas situações da partida.

FICHA TÉCNICA

VILA NOVA 0 X 0 ATLÉTICO

VILA NOVA: Mateus Pasinato; Maguinho, Wesley Matos, Diego Giaretta e Hélder; Geovane, Wellington Reis, Juninho (Reis) e Alan Mineiro (Alex Henrique); Mateus Anderson (Joãozinho) e Felipe Silva. Técnico: Hemerson Maria.

ATLÉTICO: Jefferson; Alisson, Lucas Rocha (William Alves), René e Mascarenhas; Pedro Bambu, Fernandes e Tomas Bastos; André Luís, Júlio César (Renato Kayser) e Júnior Brandão. Técnico: Cláudio Tencatti.

LOCAL: Estádio Serra Dourada, em Goiânia. ÁRBITRO: Marcelo de Lima Henrique (RJ). ASSISTENTES:  Michael Correia e Silbert Faria Sisquim (ambos do RJ). PÚBLICO: 2.950 pagantes. RENDA: R$ 46.695,00.