Controvérsia

Cineasta critica seleção dos filmes do Fica

Ângelo Lima acha que foi injustiçado, mas não ganha simpatia de colegas




O FICA também já recebeu a sua primeira polêmica: o cineasta Ângelo Lima, de 65 anos, publicou uma carta aberta em seu Facebook e está distribuindo pela cidade questionando a legitimidade do processo de seleção dos filmes do festival.

Lima foi selecionado 11 vezes no FICA e venceu duas premiações. A controvérsia começou quando seus três filmes inscritos não apareceram entre os inscritos. Segundo a carta, após vários telefonemas, as inscrições foram confirmadas, mas depois nenhum deles foi selecionado.

“Não viram meus filmes”, acusa o cineasta. Ele acredita que foi prejudicado de propósito “Eu não sou mais da ABD [Associação Brasileira de Documentaristas] e aí não me deixaram participar”. Na carta, ele questiona que tipo de cinema o FICA está mostrando. “Os filmes da ABD são universitários”, reclamou, dando a entender que os filmes selecionados para a mostra goiana são amadores.

Mesmo tendo um currículo brilhante e cheio de prêmios, a atitude de Lima foi criticada por alguns outros cineastas da mostra que não viram a carta com bons olhos: “Não devemos dar atenção a isso, achei baixo, esse tipo de atitude derruba o nível da discussão”, disse um diretor goiano.

“Achei uma carta bastante equivocada e bastante desrespeitosa com os outros cineastas selecionados. Outros se inscreveram e ficaram de fora e você não os vê reclamando. Parabéns para quem entrou”.

A assessoria do FICA disse que não possui poder de intervenção no processo de seleção dos filmes e reiterou que confia plenamente na capacidade dos curadores do festival, todos eles altamente gabaritados.

Tópicos