Do Mais Goiás

Cine Cultura apresenta o filme Martírio, sobre os Guarani-Kaiowá

Hiroshima Meu Amor, Era o Hotel Cambridge e Eu Não Sou Seu Negro continuam em cartaz

A estreia desta semana no Cine Cultura é o documentário brasileiro Martírio, sobre o grupo indígena Guarani-Kaiowá. Os longas Hiroshima Meu Amor, Era o Hotel Cambridge e Eu Não Sou Seu Negro permanecem em cartaz por mais uma semana.

A sala opera normalmente durante o feriado desta sexta-feira (14), e na segunda (17) continua a promoção em que todos pagam meia entrada. O ingresso tem o custo de R$8.

Martírio (2017; 2h40)

Documentário dirigido por Vincent Carelli, Tatiana Almeida e  Ernesto de Carvalho. O filme analisa a violência sofrida pelos Guarani-Kaiowá, população indígena que habita o Centro-Oeste e é uma das maiores do Brasil, mostrando sua luta diária para sobreviver em suas terras. Para maiores de 12 anos.

Em exibição: Todos os dias às 19h30.

Era o Hotel Cambridge (2017; 1h39)

Um velho edifício no centro de São Paulo se torna abrigo para um grupo de sem-tetos e agora para refugiados recém chegados ao Brasil que dividem a sua história. Com Carmen Silva, Isam Ahmad Issa e José Dumont, drama dirigido por Eliane Caffé.

Em exibição: Todos os dias às 14h.

Eu Não Sou Seu Negro (2017; 1h34)

Documentário de classificação livre. Protagonizado por Samuel L. Jackson, conta a história do  livro Remember This House, que relata a vida e morte de alguns dos amigos do escritor James Baldwin – como Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King Junior. Direção de Raoul Peck.

Em exibição: Todos os dias às 17h45.

Hiroshima Mon Amour (1959 – relançado em 2017; 1h32)

Uma atriz francesa (Emmanuelle Riva) vai de Paris a Hiroshima para trabalhar em um filme sobre a paz, e acaba tendo um caso com um arquiteto japonês (Eiji Okada), com quem discute suas perspectivas sobre a guerra. Sua família a pune pela paixão pelo inimigo. Direção de Alain Resnais.

Em exibição: Todos os dias às 16h.