Meio Ambiente

Cinco toneladas de peixes mortos são retirados do Rio Meia Ponte, em Piracanjuba

Na ocasião, foram realizadas coletas para determinar a presença de metais pesados e substâncias orgânicas no rio


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 01/11/2019 às 19:42:40

(Foto: Semad)
(Foto: Semad)

Na última quinta-feira (31), foram retiradas cinco toneladas peixes mortos do Rio Meia Ponte, na região da Usina Hidrelétrica de Rochedo, em Piracanjuba. Após a retirada, os animais foram destinados adequadamente segundo critérios técnicos.

Promovida pela Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), a ação, que contou com 30 profissionais, ocorreu em parceria com a prefeitura do município, Corpo de Bombeiros, Batalhão Ambiental da Polícia Militar e Celg GT. Segundo informado pela Semad, a presença de plantas aquáticas e lixo no local dificultou.

A pasta aproveitou a ocasião para solicitar o apoio da sociedade. Ela pede que a população faça denúncias de descarte irregular de qualquer componente no leito do rio. O telefone da Central de Atendimentos é o 0800 646 2112.

Novas amostragens no Meia Ponte

Novas coletas para amostragem foram retiradas do rio pela equipe do laboratório da Semad. O intuito é determinar a presença de metais pesados e substâncias orgânicas.

Nesta sexta-feira (1o), os técnicos continuaram em campo para conseguir amostragens do rio na região Noroeste de Goiânia. Eles também atuaram no trecho próximo à ponte da Rodovia GO-020, saída para o município de Bela Vista. Outros locais devem receber a visita dos profissionais.

A expectativa é de que, na próxima semana, laudos conclusivos fiquem prontos. Preliminarmente, as amostragens já revelam baixo nível de oxigenação no Meia Ponte. Isto pode ter ocorrido pelo arrasto de matéria orgânica e material contaminado para o leito.

Estes materiais, conforme relatado pelos técnicos da pasta, se acumularam em galerias pluviais e áreas de drenagem no período de estiagem deste ano. Com isso, prejudicaram a qualidade da água para os peixes, quando as primeiras chuvas começaram e os carregaram.

A pasta trabalha, também, com outras causas que ainda devem ser investigadas.