FolhaPress

Cidades da Baixada Santista fazem barreiras para tentar evitar turista no feriado

Santos, Praia Grande e Mongaguá vão abordar quem chega à cidade, além de proibir ônibus e vans; outros municípios do litoral paulista prometem fiscalizar praias

Litoral de Mongaguá, na baixada santista, em São Paulo (Foto: Trip Advisor)
Litoral de Mongaguá, na baixada santista, em São Paulo (Foto: Trip Advisor)

Para tentar diminuir a entrada de turistas durante o feriado prolongado de Corpus Christi, entre esta quinta-feira (3) e domingo (6), cidades da Baixada Santista vão fazer barreiras sanitárias: Santos, Praia Grande e Mongaguá, por exemplo, adotração a medida. Já outros municípios vão promover ações para evitar aglomerações e a disseminação do coronavírus.

Em Santos, o prefeito Rogério Santos (PSDB) afirmou em entrevista nesta quarta-feira (2) que as barreiras serão realizadas na entrada da cidade, no bairro Saboó, entre quinta e sábado (5), das 3h às 15h, e no domingo (6), entre 3h e 11h, em uma ação feita pela GCM (Guarda Civil Municipal), em parceria com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) e o apoio da Polícia Militar.

“É uma maneira de restringir principalmente a entrada do turismo de um dia. Evitando, assim, a contaminação e o aumento da pressão no sistema de saúde público”, disse o prefeito.

O objetivo da barreira é frear pessoas de fora da região, impedindo a entrada de vans, micro-ônibus e ônibus de turismo. Os veículos de passeio receberão orientação e os ocupantes terão suas temperaturas aferidas.

As praias continuam abertas apenas para a prática de atividades físicas individuais, com fiscalização da GCM. e apenas podem montar guarda-sol e cadeiras os ambulantes autorizados, seguindo as regras sanitárias vigentes, com o uso obrigatório de máscara.

Já em Praia Grande, a prefeitura anunciou que vai realizar barreiras de orientação e verificação na Avenida Ayrton Senna, no bairro de Xixová, na entrada da cidade, entre quarta (2) e domingo (6), sem horário informado. Os trabalhos acontecem com agentes de trânsito e guardas-civis municipais, com o apoio da Polícia Militar.

“Contamos com o apoio das pessoas, que fiquem em casa que pode e quem precisar sair deve usar máscaras, priorizando o distanciamento social”, diz José Américo Franco Peixoto, secretário de Trânsito de Praia Grande.

A barreira prioriza a passagem de ônibus municipais e intermunicipais, táxis e veículos de carga e, por causa das medidas em toda a Baixada Santista, continua suspensa em Praia Grande a emissão de autorização para o ingresso de veículos de turismo (ônibus, micro-ônibus e vans) .

Durante as ações, também são salientados os cuidados sanitários necessários para evitar o contágio da doença, com informativos, e a importância do distanciamento social, além da aferição da temperatura. As praias da cidade seguem abertas sem restrições.

Mongaguá também realizará barreiras sanitárias na entrada da cidade e na estrada da Fazenda. Segundo a prefeitura, a ação, com apoio da PM, tem como objetivo orientar os turistas e deve começar na parte da manhã de quinta-feira (3). Na cidade, as praias estão liberadas apenas para prática esportiva individual. Ônibus e vans de turismo ainda não podem transitar no município.

As outras cidades da Baixada, que inclui Itanhaém, Guarujá, São Vicente, Bertioga, Peruíbe e Cubatão optaram por não adotar a barreira sanitária, mas vão fiscalizar e promover ações para evitar aglomerações nas praias.

Em São Vicente, por exemplo, uma força-tarefa percorrerá, entre quinta (3) e sábado (5), a cidade para coibir aglomerações entre 12h e 18h e das 21h às 3h do dia seguinte. Durante esse trabalho, haverá aplicação de multas para locais reincidentes em promover festas, inclusive residências, marinas, bares e estabelecimentos comerciais em geral, que já foram notificados em fiscalizações anteriores.