NÃO CUMPRIU COTA DE GÊNERO

Cidadania perde único vereador eleito em Goiânia após decisão da justiça

Partido não teria cumprido cota mínima de 30% para candidatas mulheres. Sigla pode recorrer


Jessica Santos
Do Mais Goiás | Em: 22/11/2020 às 13:15:35

A Justiça Eleitoral anulou os votos do Cidadania e o vereador eleito pela sigla, Marlon dos Santos, perdeu o mandato em Goiânia. (Foto: Fábio Pozzebom / Agência Brasil)
A Justiça Eleitoral anulou os votos do Cidadania e o vereador eleito pela sigla, Marlon dos Santos, perdeu o mandato em Goiânia. (Foto: Fábio Pozzebom / Agência Brasil)

A Justiça Eleitoral determinou, no último sábado (21), a nulidade dos votos do partido Cidadania em Goiânia, sob argumento de descumprimento da cota mínima de 30% para candidatas mulheres. Com isso, o único vereador eleito pela sigla, Marlon dos Santos Teixeira, teve o diploma suspenso e não poderá assumir o cargo na Câmara Municipal da capital, em 2021. Decisão ainda cabe recurso.

A liminar foi concedida pelo juiz Wild Afonso Ogawa, da 127ª Zona Eleitoral de Goiânia, após pedido do Partido Republicano da Ordem Social (Pros). Na ação, a sigla argumenta que o Cidadania não cumpriu a cota de gênero na hora da eleição, apesar de ter ciência da legislação eleitoral.

O Cidadania, no entanto, alega que o partido cumpriu a cota mínima de 30% no momento do registro da candidatura, que foi deferida à época. Porém, a candidata Vanilda Costa Madureira desistiu do pleito em 13 de outubro. A desistência reduziu o percentual de cota na sigla para 28,8%.

Com a anulação dos votos do partido, Marlon dos Santos Teixeira, eleito com 2.546 votos, deixa de assumir o cargo de vereador no próximo ano. A vaga deve ser assumida por Igor Franco (Pros), que teve 4.179 votos. O Cidadania ainda pode recorrer da decisão.

O Mais Goiás entrou em contato com a assessoria de imprensa do Cidadania em busca de um posicionamento sobre o assunto e aguarda retorno. O espaço está aberto para manifestação.