Do Mais Goiás

Chuva deixa rastro de destruição em casas e avenidas de Goiânia

Segundo Cimehgo, algumas regiões da cidade receberam mais de 100 milímetros de água

Chuva deixa rastro de destruição em casas e avenidas de Goiânia (Foto: divulgação/Defesa Civil)

Goiânia voltou a registrar situações críticas com a grande quantidade de chuva que caiu durante a madrugada desta sexta-feira (12). Segundo o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo), algumas regiões da cidade registraram precipitação acima de 100 milímetros, como a região Leste (109,22 mm), a Norte (132 mm) e a Centro Oeste (93 mm). Tudo isso em apenas duas horas de temporal.

A consequência  do mau tempo foi invasão de casas pela água e ruas destruídas. A Defesa Civil atendeu algumas ocorrências na Vila Roriz, Bairro São José, Bairro Feliz, Jardim Guanabara e no Gentil Meirelles.

Umas das residências afetadas foi a da  farmacêutica Nathalie Braun, de 39 anos. Ela mora no Bairro Feliz e reclama das obras da extensão da Avenida Leste-Oeste. Segundo ela, a casa passou a ficar inundada desde que as obras tiveram início.

“A prefeitura parece que não sabe o que tá fazendo. Abre e fecha buraco, aumenta e diminui encanação. É uma anarquia e falta de respeito com os moradores da região. Sofríamos com a água, mas não desse jeito. Ela entrava no meu quintal e parava na minha área, no máximo. Ontem foram mais de 30 centímetros de água suja dentro de casa”, conta.

(Foto: divulgação/Defesa Civil)

(Foto: divulgação/Defesa Civil)

(Foto: divulgação/Defesa Civil)

Luciana tem três filhos, de 5, 8, e 10 anos. Ela afirma que as crianças ficaram assustadas com tudo o que presenciaram. “A gente tenta evitar, mas não dá. A água destruiu os materiais escolares, meus três sofás foram perdidos. Tentamos salvar os eletrônicos e dormimos numa parte mais alta, mas o chão ficou completamente cheio de lama, pois não limpamos ontem”, afirma.

A farmacêutica não esconde a revolta com toda a obra da Leste-Oeste que, segundo ela, precisa “de revisão no projeto”. “É uma vergonha quem fez esse projeto. A gente que tá ali é quem sofre. Minha calçada foi quebrada e nunca foi consertada. E vai chegar um dia que o prejuízo não será financeiro e sim com a vida. Mas como não são com eles, não estão sem ai”, desabafa.

Mais problemas

A Rua da Divisa, no Setor Jaó, também sofreu com os danos causados. A via teve parte da encosta levada e árvores caíram no local. Por causa disso, ela foi interditada. Equipes da Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) estão no local.

(Foto: Aulus Rincon/Mais Goiás)

(Foto: Aulus Rincon/Mais Goiás)

Córrego

A servidora pública Luciana Marques Magalhães, de 51 anos, conta que apesar de todo o susto, desta vez, a água só atingiu o quintal da casa dela. Mas ela estima que já teve mais de R$ 50 mil em prejuízos causados pela chuva. Ela mora na Alameda Mondrian, no Setor Gentil Meirelles e a casa fica poucos metros do Córrego Anicuns.

Segundo Luciana, os quatro moradores que vivem no local já ficam em pânico ao notar que vai chover. “Dessa vez eu não tive muitos danos, mas já estou subindo os móveis porque não sei como será hoje. Mas toda vez que chove é esse problema de água entrar dentro das nossas casas”, destaca.

Luciana conta que a pior das enchentes foi sentida por sua família em 2016. Na ocasião, ela estava se recuperando dos produtos que perdeu dias antes e os eletrodomésticos foram queimados com a nova inundação. “Perdi duas televisões, cama, sofá, guarda-roupa. Para completar, a casa ainda ficou com uma rachadura e o quintal cedeu pela força da água”, afirma.

Sugestão

A mulher sugere que a prefeitura faça o desassoreamento do córrego para ajudar a água escoar com mais facilidade. Porém, ela também pontua que a encanação que passa na porta da sua residência também tem trazido problemas já que a pressão da água faz com que a tampa saia do lugar e o líquido invada o quintal dela.

O Mais Goiás entrou em contato com a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) sobre as reclamações de Nathalie e Luciana e aguarda um retorno.

Tempo

A expectativa é de que mais chuva caia em Goiânia no próximo final de semana (13 e 14 de fevereiro). De acordo com o Cimehgo, a cidade contará com instabilidade no tempo com nebulosidade e pancadas de chuvas isoladas. A expectativa é de 25 mm de chuva no sábado e 15 mm no domingo.

Em todo estado, no sábado, a região Sudoeste pode registrar volume de chuva de 40mm. Já no domingo, as regiões Oeste e Sul do estado podem ter os maiores volumes: 33 milímetros.