Chuva auxilia no combate a incêndios na Chapada dos Veadeiros

Apesar de a maioria dos focos já ter sido extinta, ainda há risco de novos incêndios na região

A chuva é a mais nova aliada no combate a incêndios na Chapada dos Veadeiros e na Área de Proteção Ambiental Pouso Alto, em Goiás. (Foto: Divulgação Corpo de Bombeiros)

O combate a incêndios na Chapada dos Veadeiros e na Área de Proteção Ambiental Pouso Alto, em Goiás, ganhou mais uma aliada: a chuva. Neste sábado (10), grande parte dos focos já havia sido extinta após ações de bombeiros militares, brigadistas do ICMBio, voluntários e agora com o auxílio de precipitações. Incêndios já consumiram mais de 65 mil hectares.

Conforme expõe o Corpo de Bombeiros, as chamas já foram completamente extintas no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e nas imediações do local. Há, porém, focos remanescentes no Setor Serra do Ministro. Neste local, têm sido realizadas ações de combate e rescaldo por terra, com apoio de aviões e helicóptero.

Apesar de grande parte dos incêndios já ter sido extinta, ainda há risco de formação de novas chamas na região. Por este motivo, as equipes de combate permanecem no local. As ações contam com 123 bombeiros militares, brigadistas do ICMBio, equipes da PREVFOGO/Ibama, Semad e voluntários da Rede Contra Fogo; 23 veículos e 5 aeronaves, sendo 4 aviões de combate aéreo e 1 helicóptero.

O fogo na Chapada dos Veadeiros já atingiu 50 mil hectares na APA Pouso Alto e 17 mil hectares no Parque Nacional, o que totaliza quase 70 mil hectares afetados pelas chamas. O parque permanece aberto para visitação. Até segunda-feira, dia 12, a entrada será permitida das 7h às 12h00 com as atividades sendo encerradas às 18h.

Ministro do Meio Ambiente

Após mais de 20 dias dos incêndios, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, chegou na Chapada dos Veadeiros para acompanhar o trabalho de combate às chamas. Ele esteve no Parque Nacional na sexta-feira (9) e sobrevoou pela área também neste sábado (10).

“A nossa expectativa é que hoje mesmo, se formos ajudados pela chuva, possamos extinguir os focos de incêndio na Chapada dos Veadeiros, mas foram três, quatro dias de combate muito intensos”, disse Salles em entrevista à TV Brasil.