Do Mais Goiás

Cerimonialista que chamou faxineira de lixo será ouvido pela polícia nesta quinta

De acordo com a polícia, Maria José, que foi ouvida hoje na delegacia, entrou com uma representação contra Valeriano, que passou a ser suspeito do crime injúria.

O cerimonialista Valeriano Pinto Coelho Filho, de 59 anos, que, em um áudio de WhatsApp que viralizou, ofendeu a faxineira Maria José de Souza Marques, de 54, será ouvido pela Polícia Civil amanhã, quinta-feira (12). De acordo com a polícia, Maria José, que foi ouvida hoje (11) na delegacia, entrou com uma representação contra Valeriano, que passou a ser suspeito do crime injúria.

O caso aconteceu em Anápolis e repercutiu na internet, gerando a indignação nas pessoas. Após Maria José desmarcar uma faxina que faria na casa de Valeriano, o cerimonialista enviou um áudio chamando a mulher de “lixo e vagabunda”, dizendo que “tinha ódio de se misturar com gentalha”.

“Você não é digna de limpar nada. Você, pra mim, não passa de um lixo. Sabe por que você vive nessa vidinha de merda sua? Porque você é lixo […]. Eu não misturo, eu tenho ódio de me mistura com gentalha igual você”, disse o cerimonialista para a faxineira.

Conforme o delegado Carlos Antônio Silveira, além de Maria José, outra pessoa procurou a delegacia para registrar uma ocorrência. Segundo Silveira, a pessoa alega também ter sido humilhada por Valeriano. A identidade da pessoa não foi divulgada.

O caso de Maria José foi registrado na 6ª Delegacia Distrital de Polícia (DDP) de Anápolis, e Valeriano poderá responder pelo crime de injúria.

Em um vídeo divulgado, Valeriano se defende e diz que o áudio foi gravado “num momento de nervoso” e enviado diretamente para ela, sem exposição em outras redes sociais. “Eu mandei pra ela um áudio extremamente ridículo, porque não é o meu perfil”, declara.

A reportagem do Mais Goiás não conseguiu contato com Valeriano. O espaço permanece aberto.