Do Mais Goiás

Cerca de 50 cidades podem sofrer com desabastecimento no período de seca em Goiás

MP-GO encaminhou ofício às promotorias das cidades para alertar e dar sugestões de possíveis soluções para a descontinuidade do abastecimento

Um relatório desenvolvido pela Saneago e entregue ao Ministério Público de Goiás (MP-GO) aponta que quase 50 municípios goianos poderão ficar sem água durante o período de estiagem de 2019. Segundo informações do MP-GO, o documento também apresenta as soluções que a empresa está realizando para que, no período da seca, os goianos não fiquem sem água. Em 2018, o relatório apontou 66 cidades.

Para alertar os municípios, o coordenador do Centro de Apoio Operacional (CAO) do Meio Ambiente, Urbanismo e Consumidor do MP-GO, Delson Leone Júnior, encaminhou ofício-circular aos promotores dos municípios que correm o risco de sofrer com a estiagem. O ofício encaminha também sugestões de providências a serem tomadas pelas cidades quanto à descontinuidade no abastecimento de água. (Confira a lista completa dos municípios no final da matéria)

Dentre as cidades que mais podem ser afetadas com a descontinuidade do serviço, está Aparecida de Goiânia. O município pode enfrentar complicações nos sistemas de abastecimento Independente Tiradentes, Independência Mansões, Madre Germana, Lages, João Leite e Meia Ponte.

A capital goiana também pode sofrer com o desabastecimento em razão de dificuldades com o sistema Meia Ponte. Como medida corretiva, a estatal implantou e opera uma adutora responsável por interligar a saída da Estação de Tratamento de Água (ETA) Mauro Borges à ETA Meia Ponte, visando complemento de abastecimento do sistema.

Ao todo, 46 cidades correm o risco de ficar sem água: Goiânia e outras oito cidades da Região Metropolitana da capital, sete cidades do Entorno do Distrito Federal e 30 municípios localizados no interior goiano. Cabe a cada promotoria a decisão sobre quais medidas serão tomadas para economia e soluções para a possibilidade de crise hídrica.

O Mais Goiás tentou contato com o município de Goiânia, mas até a publicação da matéria o portal não obteve retorno. Em nota, a Prefeitura de Aparecida afirma que não é possível que o município sobreponha a companhia estatal para promover ações estruturantes que evitem a falta d’água. Alega ainda “realizar campanhas de conscientização para o consumo racional de água e que tomará medidas para economia nos órgãos públicos”.

Confira a lista completa dos municípios abaixo

Região Metropolitanta

Goiânia;

Aparecida de Goiânia;

Abadia;

Aragoiânia;

Bela Vista de Goiás;

Goianira;

Guapó;

Nerópolis;

Trindade.

Entorno do Distrito Federal

Cidade Ocidental;

Cristalina;

Luziânia;

Novo Gama;

Valparaíso de Goiás;

Formosa;

Planaltina.

Interior Goiano

Alto Paraíso;

Corumbaíba;

Crixás;

Mozarlândia;

São Luiz de Montes Belos;

Araguapaz;

Bom Jardim;

Carlândia;

Cocalzinho de Goiás;

Guarinos;

Goiás;

Hidrolina;

Mata Azul;

Montividiu do Norte;

Mundo Novo;

Nova Crixás;

Novo Brasil;

Petrolina de Goiás;

Pirenópolis;

Sanclerlândia;

Santa Isabel;

São Luiz do Norte;

Turvelândia;

Souzalândia;

Indiara;

Uruana;

Morroagudo;

Mairipotaba;

Pontalina;

Rio Verde.

*Thaynara da Cunha é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Hugo Oliveira