Jardim depredado

Cerca de 300 mudas de roseiras são furtadas no Lago das Rosas

Monumento histórico do parque havia sido revitalizado pela Comurg. Em Goiânia, espaços públicos registram alto índice de furtos e vandalismo


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 27/02/2019 às 18:27:53

Falta das roseiras foi percebida por funcionários da Comurg (Foto: Divulgação)
Falta das roseiras foi percebida por funcionários da Comurg (Foto: Divulgação)

Cerca de 300 mudas de roseiras foram furtadas do monumento histórico que fica na entrada principal do Lago das Rosas, entre a Avenida Anhanguera com Alameda das Rosas, setor Oeste. Este é mais um ato de furto e vandalismo registrado em locais públicos de Goiânia.
.
O crime ocorreu após a revitalização feita pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg). A falta das roseiras foi percebida por funcionários da Companhia que fazem a limpeza e manutenção do local. Os servidores se depararam com a ação criminosa e informaram aos superiores.
 .
Além do furto, os vândalos deixaram sujeira na calçada no momento da retirada das terras dos vasos. Conforme registros da Comurg, ações deste teor são costumeiras e devem ser tomadas medidas cabíveis. Outras regiões também já sofreram com este tipo de ato, como as avenidas Goiás, no Centro; Av. 136 e também a Rua 90, com Americano do Brasil, Setor Marista.
 .
Segundo o presidente da Comurg, Aristóteles de Paula, logo após os plantios, geralmente é preciso voltar aos pontos vandalizados e fazer a reposição das espécies furtadas. “Ações como essas são rotineiras e prejudicam os trabalhos de reurbanização da cidade, demandando mais trabalho e gastos”, diz.
 .
A retirada de plantas de canteiros centrais da cidade ou qualquer outro espaço público é um crime de depredação ao patrimônio público, previsto em lei.
Vândalos furtaram, danificaram as floreiras e deixaram sujeira na calçada (Foto: Divulgação)

Vândalos furtaram, danificaram as floreiras e deixaram sujeira na calçada (Foto: Divulgação)