Operação

Cerca de 200 detentos são transferidos para presídio de Planaltina

Os detidos estavam em unidades de Anápolis, Aparecida de Goiânia, Formosa e outras 20 cidades do interior do Estado, que não tiveram nomes divulgados pela SSP; nem mesmo os familiares foram avisados da transferência, para evitar vazamento de informações, afirma a Secretaria de Segurança Pública


Da Redação
Do Mais Goiás | Em: 10/09/2019 às 18:50:50

(Foto; Reprodução/WhatsApp)
(Foto; Reprodução/WhatsApp)

Cerca de 200 presos foram transferidos para o presídio de Planaltina, que fica no entorno do Distrito Federal (DF). 80% dos detentos encaminhados estavam na Casa de Prisão de Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia e outros estavam em 22 municípios. A estrutura foi inaugurada na última semana e tem capacidade para 388 detentos. A informação foi passada à imprensa em coletiva na tarde desta terça-feira (10).

“Eles eram de unidades de Aparecida de Goiânia, Anápolis, Formosa e de outras vinte cidades pequenas que não terão nomes divulgados”, conta Rodney. O coronel Wellington Urzêda completa que “se trata se presos de alta periculosidade”, afirmou o secretário de Segurança Pública (SSP-GO), Rodney Miranda. A operação foi integrada por forças de segurança de Goiás com apoio de policiais do DF.

Segundo o secretário da SSP-GO, para a transferência foram necessárias 50 viaturas e quase 400 agentes prisionais. “A DGAP (Diretoria-Geral de Administração Penitenciária) junto aos policiais realizaram um levantamento de presos perigosos que deveriam ser transferidos para o novo presídio”, relata.

O intuito do deslocamento é evitar o comando de organizações criminosas que, de acordo com o secretário, vem de dentro do presídio. “O reflexo disso (transferência) estará nas ruas em alguns meses”, afirma.

Segundo o Coronel Urzêda, o presídio de Planaltina segue a sistemática dos presídios federais. “Possui raio-x, detector de metal, não possui energia dentro da celas e é cercado por uma muralha de sete metros de altura”, relata.

A operação ainda está em andamento e por isso a lista com os nomes dos transportados não será divulgada, por enquanto. Tampouco os familiares foram avisados da transferência. “Quanto menos pessoas souberem melhor, assim não vaza informação”, defende Urzêda.

Coronel Urzêda. (Foto: Mais Goiás)