Cidades

Cerca de 20 caminhões de combustível são escoltados na GO-020, em Senador Canedo

Destino das autocargas não foi revelado para manter segurança dos condutores. Levantamento do Procon aponta para escassez de etanol no estado


Amanda Sales

Do Mais Goiás | Em: 29/05/2018 às 17:06:32


Caminhões deixando ponto de paralisação. (Imagem: Leitor/ Mais Goiás)
Caminhões deixando ponto de paralisação. (Imagem: Leitor/ Mais Goiás)

Cerca de 20 caminhões de combustível foram escoltados na GO-020, em Senador Canedo, região em que se localiza grande parte das distribuidoras do estado. As escoltas foram feitas por equipes do Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva (Giro) e de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam) da Polícia Militar, na tarde desta terça-feira (29), um dia após a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) iniciar os acompanhamentos.

Conforme a pasta, o destino das autocargas não pode ser revelado para manter a segurança dos condutores e evitar aglomerações nos postos que devem receber os combustíveis. A estimativa da secretaria é que neste primeiro dia de ações 50 caminhões sejam escoltados, sendo  30 para a região Sudoeste de Goiás e 20 para Goiânia.

As escoltas visam minimizar o desabastecimento de combustível no estado. O Procon Goiás informou que falta etanol em quase todos os municípios de Goiás, incluindo a capital. O gerente de fiscalização do órgão, Marcos Rosa, explica que, no momento, a preocupação é com etanol e o gás de cozinha.

Marcos esclarece também que o Procon está fiscalizando os preços e margens de lucro dos combustíveis e gás de cozinha em todo o estado. “Estamos trabalhando junto à Secretaria de Segurança Pública de modo a possibilitar que os combustíveis e o gás de cozinha cheguem aos municípios em que há escassez. Nós estamos fazendo contato com os Procons municipais e todas as informações que eles nos passam nós repassamos, para que os policiais façam a tratativa da informação e organizem os comboios das escoltas”, esclarece.

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), Márcio Andrade contou que os carregamentos de combustível não conseguem deixar a região das distribuidoras, em Senador Canedo, sem escolta.”Em Senador Canedo não consegue sair caminhão, nem entrar. Estão bloqueando todos os acessos da cidade, e os caminhoneiros que tentam passar são ameaçados”, disse.

A SSP informou que qualquer caminhoneiro que se sentir acuado ou quiser deixar a paralisação pode solicitar a escolta pelo telefone (62) 3201-6101. Além disso, o número (62) 3201-2052 será disponibilizado para denúncias de crimes relacionados à paralisação dos caminhoneiros, como bloqueios, venda ilegal de produtos e furtos e roubos de cargas.