Reajuste

CDTC aprova reajuste da tarifa do transporte coletivo e passagem sobe para R$ 4

Apenas dois integrantes da câmara deliberativa votaram contra a proposta. Valor passará a valer a partir da próxima quarta-feira (24)


Thais Lobo
Do Mais Goiás | Em: 22/01/2018 às 20:01:05

15% da frota foi reduzida nesta segunda-feira (28) (Foto: Cláudio Augusto/ Ônibus Brasil)
15% da frota foi reduzida nesta segunda-feira (28) (Foto: Cláudio Augusto/ Ônibus Brasil)

A Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) aprovou o aumento da tarifa do transporte coletivo na região metropolitana de Goiânia. O valor da passagem passará de R$ 3,75 para R$ 4,00 a partir da próxima quarta-feira (24). A decisão foi tomada na tarde desta segunda-feira (22) durante reunião no Paço Municipal, em Goiânia.

O principal argumento para o reajuste apresentada pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) foi “o princípio da anualidade” que está presente na clausula 24º do contrato de concessão. O texto diz que é necessário um reajuste a cada 12 meses. Os cáculos apresentados pela companhia, que foram aprovados pela Agência Goiana de Regulação (AGR), levou o valor da passagem para R$ 4,05.

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), frisou que o aumento do preço da tarifa não irá resolver os problemas do transporte coletivo da capital, mas que era necessário o reajuste por conta do contrato de concessão e pediu para “arredondar” o valor. “O poder público errou quando deixou de reajustar durante dois anos, errou quando começou a fazer concessões e não cumprir com as suas promessas junto aos empresários. Então não acho que tem que se discutir essa passagem. Eu não acho que é R$ 4,05, arredonda para R$ 4, vamos ser práticos”, disse.

O vereador Clécio Alves (MDB) chegou a apresentar duas propostas na tentativa de barrar o aumento: uma visava que os municípios dividissem a responsabilidade na gestão dos terminais de ônibus, que hoje é da CMTC, mas ela foi derrubada.

A outra medida anunciada pelo parlamentar quer que os municípios façam Parcerias Público-Privada (PPP) para ajudar na gestão dos pontos de ônibus, que poderiam ser usados para publicidade de empresas privadas. Esta última ideia foi aprovada e o presidente da CDTC, o prefeito de Aparecida de Goiânia Gustavo Mendanha (MDB), pediu um estudo de viabilidade da proposta.

Já o presidente da CMTC, Fernando Meireles, pediu, além do reajuste, que os municípios assumam a responsabilidade de gestão dos pontos de ônibus, que hoje é de responsabilidade da companhia. A proposta foi aprovada por unanimidade.

Na votação do reajuste do valor da tarifa do transporte coletivo para R$ 4, apenas dois dos 11 integrantes da CDTC votaram contra: o vereador Clécio Alves e o deputado estadual Marlúcio Pereira (PSB).