Comissão

CCJ mantém isenção de ponto para gestores jurídicos

“Queria revogar a lei que dava essa regalia, mas fui voto vencido”, declarou Henrique Arantes, que ainda pretende aprovar a matéria


Francisco Costa
Do Mais Goiás | Em: 08/10/2019 às 19:47:18

Comissão de Constituição e Justiça (Foto: Marcos Kennedy)
Comissão de Constituição e Justiça (Foto: Marcos Kennedy)

O deputado estadual Henrique Arantes (MDB) sofreu uma derrota na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na tarde desta terça-feira (8). O parlamentar apresentou uma proposta para revogar o projeto que desobriga gestores jurídicos do Estado a bater ponto. Com a pressão feira pelos profissionais, que compareceram no auditório Solon Amaral, na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), e seguindo o parecer do relator, a matéria foi rejeitada. Para ele, a isenção é imoral.

O projeto, que dá a isenção aos gestores, trata do Plano de Cargos e Remuneração dos Servidores que integram o Grupo Ocupacional Gestor Governamental. Relator da matéria, o deputado Hélio de Souza (PSDB), deu parecer contrário à proposta de revogação de Henrique Arantes, segundo ele, devido a uma orientação da procuradoria da Alego.

Isenção de ponto

“Acho muito imoral”, declarou Henrique em relação a isenção. “Por que o motorista da secretaria não é isento? E a moça que serve cafezinho? Por que o gestor é?”, questionou, retoricamente Arantes. Ele ainda lembro que o País passa por um movimento de moralizar o serviço público e a administração pública.

“Queria revogar a lei que dava essa regalia, mas fui voto vencido. Pretendo propor novamente quando tiver clima para aprovar.”